31 de agosto de 2004

Antevisão


A silly-season do cinema está prestes a terminar, com a entrada em Setembro. "Duplex", "Garfield", "Thunderbirds" ou mesmo "13 Going On 30" vão dar lugar até ao fim de 2004 a obras bem apetecíveis. Aqui ficam algumas:



É já no próximo dia 2 que estreia "I, Robot", um thriller futurista com Will Smith no principal papel. Realizado pelo egípcio Alex Proyas ("Dark City"), "I, Robot" conta a história de um crime perpretado em 2035, em que o principal suspeito é um... robô. Nada com visitar o site oficial.


Michael Haneke, em 1997, espantou o mundo do cinema com "Funny Games", um thriller dramático muito intenso, que trouxe algumas coisas novas e promissoras ao cinema. Agora, "Le Temps du Loup" trará mais uma vez um forte drama com lições de vida à mistura. Com Patrice Chéreau (realizador de "Intimacy") e Isabelle Huppert (actriz principal deste mesmo "Intimacy") nos principis papéis.


A parceria Steven Spielberg / Tom Hanks regressa já em Setembro com "The Terminal", um filme que promete marcar os espectadores de forma profunda, onde é retratado um homem que mal desembarca no aeroporto JFK, fica a saber que o seu país natal deixou de existir, fruto de uma guerra civil. Impedido de entrar nos EUA, este homem fixa residência no aeroporto...


Com M. Night Shyamalan vimos um grande Haley Joel Osment em "The Sixth Sense". Depois de "Signs", Shyamalan regressa com "The Village", uma película de terror bem ao seu estilo com Joaquin Phoenix e o oscarizado Adrien Brody nos papéis de destaque.


Halle Berry será sempre um motivo para ir ao cinema. E com ela regressa "Catwoman", a mulher-gato que povoou o imaginário de milhares de leitores de banda desenhada, agora numa realização de Pitof, que nos ofereceu um delírio visual em "Vidocq". Ainda no mês de Setembro.


A animação tembém regressa nesta estação, e com duas produções. "Shark Tale", vinda directamente da Dreamworks, traz mais uma animação que emerge do fundo do mar. Mais tarde, em Dezembro, "Polar Express" de Robert Zemeckis promete ser um dos grandes filmes do ano. Melhor do que descrever é visitar o site oficial e ver algumas imagens.


Galardoado este ano em Cannes, obra de um dos maiores nomes do cinema mundial da actualidade, "The Motorcyle Diaries" de Walter Salles traz-nos uma história real retirada dos diários de Ernesto "Che" Guevara, interpretado por Gael García Bernal. Talvez a grande aposta do ano.


Já aqui falamos deste thriller futurista que estreará por volta de Outubro deste ano. "Sky Captain and The World Of Tomorrow", com Jude Law, Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie, será concerteza imperdível.


"Collateral" apresenta-nos Tom Cruise num papel de vilão, um assassino a soldo que rapta um taxista para que este o leve aos seus alvos. Com a direcção de Michael Mann e Jamie Foxx a contracenar com Cruise.


Promete trazer de novo o terror à rivalta. "Saw" marca a estreia de James Wan na realização. O poster diz o resto.


23 de agosto de 2004

Previsão de "The Incredibles"


Estreia a 5 de Novembro deste ano "The Incredibles", um filme de animação muito esperado na cena internacional. Mr. Incredible, um conhecido super-herói, é colocado pelo Governo num Programa Especial de Protecção a Testemunhas, sendo deslocado com a sua família (a mulher Helen, que antigamente era Elastigirl, e os seus três filhos: Violet, Dash, e Jack Jack) para uns subúrbios norte-americanos. A trabalhar agora numa companhia de seguros, o patriarca da família vê-se envolvido numa trama montada por um seu inimigo, obrigando a família Incredible a juntar-se para o salvar. Com as vozes de Brad Bird (que também realiza), Holly Hunter e Samuel L. Jackson, o site oficial pode ser visto aqui. Por agora, deixamos algumas fotografias para aguçar o apetite.







Breves


Sharon Stone vai juntar-se a Bill Murray, Jessica Lange, Tilda Swinton e Chloe Sevigny no próximo filme do norte-americano Jim Jarmusch "Untitled: Jim Jarmusch Project", a ser rodado a partir do próximo mês de Setembro.

Ken Watanabe ("The Last Samurai") irá liderar o elenco de "'Memoirs of a Geisha", que contará ainda com as presenças de Zhang Ziyi, Gong Li, Michelle Yeoh, Youki Kudoh e Koji Yakusho.

Um enorme rumor anda a destabilizar todos os amantes de cinema e navegadores de internet: ainda por confirmar oficialmente, afirma-se que Quentin Tarantino, o fabuloso realizador de "Pulp Fiction" ou mais recentemente de "Kill Bill" criou um weblog onde responde a perguntas, fala dos seus próximos projectos e comenta filmes por si realizados. Pessoas profundamente conhecedoras da sua personalidade dizem que se não é ele, é um fabuloso imitador. Para comprovar, o endereço é este.


22 de agosto de 2004

Posters




21 de agosto de 2004

"Garfield" por Ricardo Clara


Surgido pela primeira vez a 19 de Junho de 1978 , Garfield, um gato obeso, muito preguiçoso e adorador de lasanha, foi criado pelo cartonista norte-americano Jim Davis, o qual teve uma enorme dificuldade em publicar o seu trabalho, que agora preenche o imaginário e as páginas de mais de 2600 jornais em todo o mundo. A primeira aparição foi feita na cozinha do restaurante italiano Mama Leone, onde um gato muito novo, mas bastante grande para a idade, obrigou o dono do restaurante a vendê-lo a uma loja de animais para não perder o negócio (por razões óbvias). Condenado a lá ficar, o seu destino muda com a entrada na loja daquele que iria ser o seu futuro dono: Jon Arbuckle. A 7 de Agosto de 1978, Jon acolhe em sua casa Lyman, que leva um cão de nome Odie. Mais tarde Lyman desaparece, deixando Odie como novo companheiro de Garfield. A 10 de Outubro do mesmo ano surge pela primeira vez Pooky, o seu urso de peluche e a 3 de Setembro aparece Nermal, um adorável gato que levou Garfield a afirmar: "He's cute... and I hate 'cute'".
Estreou esta semana "Garfield", pela mão de Peter Hewitt, um realizador que tem neste filme uma primeira obra de nome no mundo do cinema. Jon Arbuckle (Breckin Meyer - "Kate & Leopold" (2001), o dono do gato Garfield (com a voz de Bill Murray) aceita de Liz (Jennifer Love Hewitt - "I Know What You Did Last Summer" (1997), veterinária, um cão de nome Odie, num acto de simpatia decorrente do interesse que demonstra por ela. Não muito contente com a chegada do novo inquilino, o faminto felino fecha Odie na rua, o qual foge e vem a ser posteriormente recolhido por Happy Chapman (Stephen Tobolowsky - "Freaky Friday" (2003), um apresentador televisivo com más ideias quanto ao futuro do canídeo. Cheio de remorsos, Garfield parte em busca de Odie com o intuito de o salvar.
É fraquíssima esta primeira adaptação cinematográfica do gato criado por Jim Davis que nos chegou esta semana às salas de cinema. Com Bill Murray a salvar parte do filme, contribuindo largamente com a sua voz para o gato, "Garfield" é um exemplo de má animação, numa altura em que nos chegam exemplos vindo de "Shrek 2" ou mesmo de "Finding Nemo" quanto à animação por computador. Com movimentos presos e descoordenados, Garfield é uma marioneta desconcertante em certas situações, chegando por vezes a interacção com as personagens humanas a revelar-se desastrosa e muito pouco reais, com os movimentos humanos a não corresponderem minimamente aos movimentos do felino. Com um argumento básico e inventivo quanto a certas personagens, este filme deixa uma indicação:o Verão do cinema ainda anda por aí.


Título Original: "Garfield" (EUA, 2004)
Realizador: Peter Hewitt
Intérpretes: Breckin Meyer, Jennifer Love Hewitt e Bill Murray (voz)
Argumento: Jim Davis e Joel Cohen
Fotografia: Dean Cundey
Música: Christophe Beck
Género: Comédia / Animação
Duração: 80 min
Sítio Oficial: http://www.garfieldmovie.com


17 de agosto de 2004

"Wonderland" por Ricardo Clara

Em plenos anos 80, um brutal homicídio ceifa a vida a quatro pessoas no número 8763 da Wonderland Avenue em Laurel Canyon. Os detectives Sam Nico (Levine), Louis Cruz (Frankie G. ) e Mike Peters (Gainey) investigam o caso, entrando num mundo de drogas, armas, roubos e a ligação do rei da pornografia John C. Holmes (Val Kilmer) e de um temido traficante de Los Angeles, Eddie Nash (Eric Bogosian), bem como a de Holmes com o seu triângulo amoroso: Sharon Holmes (Lisa Kudrow) e a sua amante Dawn Schiller (Kate Bosworth). Uma história real que chocou a América dos idos 80's.
Realizado pelo desconhecido James Cox, este filme retrata a decadência da lenda porno norte-americana John Holmes, e a sua entrada no mundo das drogas. Num registo diferente de "Boogie Nights", de Paul Thomas Anderson, este "Wonderland" mostra outra face, desconhecida de muitos, de John Holmes. Com alguns promenores de realização interessante, e uma fotografia arrojada, o filme não deixa grandes recordações, e passa como mais um produto experimentalista de novos realizadores da indústria de cinema norte-americana. Com um Val Kilmer a apresentar-se em boa forma, a película sai beneficiada de uma montagem bastante interessante, com repetições, avanços e recuos que dão alguma qualidade ao produto. Apesar de um elenco interessante, um filme médio em plena silly season cinematográfica.


Título Original: "Wonderland" (EUA / Canadá, 2003)
Realizador: James Cox
Intérpretes: Val Kilmer, Kate Bosworth, Lisa Kudrow, Christina Applegate, Tim Blake Nelson e Eric Bogosian
Argumento: James Cox e Captain Mauzner
Fotografia: Michael Grady
Música: Cliff Martinez
Género: Crime / Mistério / Thriller / Drama
Duração: 99 min
Sítio Oficial: http://www.wonderlandthemovie.com

Breves nacionais



Depois de "Balas e Bolinhos", uma produção portuguesa que deu que falar, tanto devido à transmissão da SIC Radical, como por ter sido exibido no Fantasporto, surge a sequela, "Balas e Bolinhos - o regresso", agora com o humorista Fernando Rocha no elenco e com uma banda sonora que conta com nomes da música portuguesa como Fonzie e Blunder. O site já se encontra activo, em www.balasebolinhos.com, e apresenta um número considerável de informações sobre este filme, que estreará a 30 de Setembro deste ano.


O CINANIMA - Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho, cuja edição 2004 se realizará entre os dias 08 e 14 de Novembro, já divulgou alguns números deste ano. Assim, 510 filmes de 41 países foram seleccionados para o festival, com a França a liderar o ranking de maior número de filmes (74) seguida do Reino Unido (61) e dos EUA (43). O júri que seleccionou os filmes, neste mês de Agosto, foi composto por José Diogo Quintela, Olivier Vandersleyen, Marie Paccou, António Loja Neves e Isabel Aboim Inglez, dando este júri lugar a outro, o internacional, que será liderado por João Mário Grilo, e contará ainda com a presença de Jean Rubak, Ruth Lingford, Jannik Hastrup e Giannalberto Bendazzi (um dos maiores historiadores de cinema de animação mundiais). Para mais informações, basta visitar www.cinanima.pt.

"André Valente", filme de Catarina Ruivo, recebeu o prémio “Don Quijotte”, atribuído pela Federação Internacional de Cineclubes, no Festival Internacional de Locarno, que decorreu naquela cidade suíça, entre 4 e 14 de Agosto.


16 de agosto de 2004

"King Arthur" por Nuno Reis



No passado dia 12 renasceu a maior lenda da Idade Média, Artur. Antoine Fuqua, o realizador de "The Replacement Killers", "Tears of the Sun" e "Training Day", nesta sua primeira mega-produção conta-nos a "verdadeira" história que inspirou a lenda adaptada por muitos. O argumento utilizado é de David Franzoni, responsável por "Amistad" e "The Gladiator", e a música é do mestre Hans Zimmer. Estes três nomes, aliados ao do produtor Jerry Bruckheimer e aos actores presentes no filme, tornam compreensível os 50 milhões de dólares obtidos nas salas americanas.
O argumento fala sobre Artur e alguns dos seus cavaleiros, Lancelot, Gawain, Galahad, Tristan, Bors e Dagonet, assim como a sua rainha, Guinevere. O filme ao longo das suas duas horas narra os dias fulcrais da história/lenda de Artur, a sua última missão para Roma e a sua relação com o povo local. Artorius é um comandante romano que tem por missão proteger o Império Romano no ilha da Bretanha, sendo para isso ajudado pelo célebre muro de Adriano e por vários cavaleiros ligados ao exército por um juramento dos seus antepassados. A sua luta por Deus contra os locais revela-se uma mentira e enquanto desempenham uma missão mortal são atacados por um exército saxão com milhares de homens. a partir daí o filme é uma sangrenta batalha sem razões, todos os exércitos lutam pela terra e todos lutarão até à morte.
Em termos de história é um filme bastante pequeno que poderia ser resumido em meia hora não fossem as gigantescas batalhas que estão ao melhor nível do ano sem abusar dos efeitos especiais, é tudo feito com setas e espadas e alguns cavaleiros e catapultas. a personagem de Artur (Clive Owen) é obviamente a principal, sendo secundado por Lancelot (Ioan Gruffudd) que humoriza todas as situações possíveis falando de mulheres aos seus companheiros de armas, especialmente das deles. Alguns olhares a Guinevere (Keira Knightley) recuperam o célebre triângulo amoroso que não segue em frente por ironia do destino. Mads Mikkelsen, Joel Edgerton,Hugh Dancy, Ray Winstone e Ray Stevenson são os restantes cavaleiros sobreviventes, Stellan Skarsgård e Til Schweiger são os líderes saxões que o pretendem derrotar. Stephen Dillane é um Merlin diferente do tradicional, que tem como único objectivo devolver Artur de volta ao seu povo.
É sem dúvida um filme tecnicamente bem conseguido mas que não apela ao espectador, o argumento é simples, os efeitos especiais não são geniais e assim como as interpretações não serão nomeadas para nenhum grande prémio cinematográfico. Vale pelas intensas cenas de batalha mas mesmo isso tem sido tão vulgarizado que só por si não é suficiente para tornar o filme uma obra-prima.

Tom Welling Superman?


Tom Welling ("Smallville") será muito provavelmente a escolha para interpretar o novo Super-Homem. Em entrevista ao MTV online, o jovem actor afirmou que assinou contrato para um filme a ser realizado proximamente, mas que não podia dizer qual. Jurei segredo, afirmou Welling, que a confirmar-se como o novo Super-Homem, irá ser dirigido por Bryan Singer ("X-Men"), que entretanto viu o seu contrato com a 20th Century Fox ser quebrado, devido a ter assinado pela Warner Bros., que produz este novo "Superman", gorando-se assim a possibilidade de uma terceira parte de "X-Men".


Breves


O poster do remake de "King Kong", a estrear em 2005, e que será realizado por Peter Jackson, encontra-se envolvido em mistério. Fica aqui um poster que é tido como a primeira versão, e que foi descoberto na Austrália esta semana.


Também no filme de Jackson, sabe-se agora que Lobo Chan, uma cantora de ópera britânica irá interpretar uma personagem de nome Choy, cuja preponderância na película é ainda desconhecida

James Gandolfini ("The Sopranos") irá interpretar o escritor Ernest Hemingway no grande ecrã, num filme cujo nome ainda não foi divulgado.

Sofia Coppola ("Lost in Translation") irá realizar "Marie-Antoinette", que muito provavelmente contará com Kirsten Dunst ("Spiderman") no papel da rainha francesa.

Tom Cruise irá ser o protagonista de "War of the Worlds", a ser realizado por Steven Spielberg, e que ainda não tem data marcada para estrear.

15 de agosto de 2004

Posters (1)







8 de agosto de 2004

Novo Cine-Clube a caminho



Começam hoje em Válega (para localização cinéfila é entre Ovar e Avanca) sessões ao ar livre com a finalidade de recolha de fundos para a criação do Cine-Clube de Válega. As sessões decorrerão no largo da Igreja às 21:30 e o custo do bilhete é de apenas 1€. Fica aqui a programação:
  • dia 8: "The Last Samurai"
  • dia 12: "The Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl"
  • dia 17: "Bad Boys II"

    Apesar do mau tempo é uma iniciativa que merece louvor e apoio. O Antestreia deseja ao Cine-Clube um excelente futuro.

  • 4 de agosto de 2004

    Férias

    O Antestreia está semi-encerrado para férias e por não ter nenhuma sala de cinema perto tenho publicado, como pode ser lido nos ultimos quatro artigos, apenas críticas a filmes ainda em exibição em Portugal que antes de Agosto não tive tempo de escrever.

    "Ong-Bak" por Nuno Reis

    Um dos outsiders na luta de bilheteiras deste verão é este "Ong-Bak", pérola tailandesa que recupera o estilo dos filmes marciais que ultimamente para estrearem cá tinham de ter Jackie Chan ou Jet Li ou alguém ainda pior (não incluo "Kill Bill" no género).
    A história gira em torno de Ting, um lutador de Muai Thai de uma pequena aldeia que se vê despojada por um seu conhecido da cabeça da estátua talismã da aldeia que simboliza Ong-Bak. Ting parte para Bangcok para tentar recuperar a cabeça roubada mas o único aliado que Ting esperava encontrar na metrópole é de pouca confiança e ele terá de se safar sozinho, tendo ocasionalmente ajudas do amigo e de uma cúmplice dele.
    O filme está recheado de acrobacias e peripécias extremas que deixariam muitos actores já referidos envergonhados. Além de várias lutas com ou sem razão aparente - e vários golpes baixos - Ting também se descobre envolvido num negócio de estátuas roubadas muito superior ao imaginado e tem de lidar com criminosos de todo o género.
    Para os fãs do género não haverá melhor do que isto, golpes irreais, drogas poderosas, negócios negros e apostas entre dois milionários em lutas de morte. O lado cómico está sempre presente apesar de o actor nunca fazer um sorriso. No final o Bem tem de vencer e todos os pecados são redimidos.

    "Laws of Attraction" por Nuno Reis

    Está nas salas portuguesas o mais recente trabalho de Peter Howitt, o realizador que nos presenteou com os intrigrantes "Sliding Doors" e "AntiTrust" e o divertido "Johnny English". Nesta sua mais recente comédia uma advogada de divórcios (Julianne Moore) conhece um advogado desleixado (Pierce Brosnan) que se revela o seu maior rival. Depois de uma noite em que o alcóol os junta e várias presenças em tribunal onde se tentam destruir, um dos casos em que trabalham leva-os à Irlanda onde o alcóol os casa. As peripécias complicam-se quando o casamento indesejado por ela e desejado por ele, fica comprometido por misturarem a vida pessoal com a profissional num acidente com o lixo doméstico o que a leva a querer terminar a farsa.
    As interpretações dos dois protagonistas são as de comédia romântica onde nos acostumámos a vê-los (mas nunca juntos), Michael Sheen, no papel de rockeiro infiel e louco, está muito divertido, parecido com o papel que teve em "Underworld".
    O filme em comparação com os anteriores de Howitt é uma grande desilusão, consegue entreter bem durante hora e meia mas não passa disso. Nem a comédia nem o romance permanecem no imaginário do espectador e vários detalhes poderiam ser desenvolvidos. A repetição de uma juíza pouco tolerante (Nora Dunn) está boa e Frances Fisher, como mãe de Moore tem um papel excelente que torna o filme aceitável.
    O filme resume-se a uma moral, vale a pena lutar pelas relações quer sejam ou não amorosas, mas mesmo para uma ida romântica ao cinema há alternativas melhores. Custa-me muito dizer isto pois Peter Howitt é dos meus realizadores preferidos mas talvez seja melhor não se aventurar novamente em argumentos de Aline Brosh McKenna (autora do excelente "Three to Tango").

    3 de agosto de 2004

    "Spider-Man 2" por Nuno Reis

    Sem dúvida o melhor filme do momento nas salas portuguesas e uma sequela digna do seu predecessor. Neste filme encontramos Peter Parker a braços com a tarefa hercúlea de entregar pizzas e MJ a revelar-se como uma grande actriz. As habituais desilusões com que Peter a acostumou levam-na a procurar o amor com outra pessoa, o filho de JJ Jameson. Enquanto isso o Dr. Octavius é dominado pelos seus braços mecânicos após um grande acidente durante a exibição da sua maior experiência e torna-se no Dr. Octopus, um dos maiores inimigos de Spider-Man na banda desenhada, mas que o ignora ao longo de todo o filme. Como é possível um vilão conseguir ignorar o herói que o tenta deter a todo o custo? Não consegue mas também o herói não o persegue, Peter, depois de perder o amor de M.J. desiste de ser um herói e dedica-se aos estudos. Não lamentem o fim do Aranha, pois o nosso herói só desiste quando percebe que além do amor perdeu também os seus poderes e está a destruir a sua vida e a arriscar a vida. Por ordem de Frank Osborn o Dr. Octopus rapta Mary Jane para que Peter convença o Homem-Aranha a voltar. As consequências serão um combate mortal entre ambos com um final heróico.
    A realização está semelhante ao primeiro mas com um argumento superior. O lado humano que sempre distinguiu este herói dos demais é cada vez mais evidente e neste filme, apesar de o protagonista estar quase sempre sem máscara e revelar a sua identidade a demasiada gente, está bem conseguido. É um filme de super-heróis que supera a concorrência.

    "13 Going on 30" por Nuno Reis


    Jennifer Garner abandona por momentos o papel de eficaz arma de destruição a que nos habituou em "Alias" e "Daredevil" e toma em mãos um papel bastante mais ligeiro. Neste filme interpreta Jenna Rink, uma miúda de 12 anos que deseja mais do que tudo ser aceite e ser normal. No dia que faz 13 anos um pouco de pó dos desejos cai sobre ela e o seu desejo de ter uns coquetes 30 anos torna-se realidade. Quando acorda num corpo de mulher e com um homem em casa, descobre que algo está errado e com a ajuda do seu amigo de infância Matt (Mark Ruffalo), tenta refazer a sua vida e tornar em alguém divertido a pessoa horrível que a Jenna adulta é. Parece o filme "The Kid"? Concordo mas este é muito pior. Muitos dos momentos românticos são forçados e as piadas são velhas. A realização não cativa e o argumento assusta. É um bom filme para ver na televisão ao fim-de-semana mas está longe de merecer que se saia da casa nestes dias quentes.