31 de março de 2008

Vencer por cansaço

Admito: o vídeo da jovem histérica da escola Carolina Michaëlis, no Porto, já me venceu pelo cansaço. As imagens passaram mais vezes nos notíciarios do que "Half Past Dead" / "Duro de Matar" numa tarde insossa da televisão. «Dá-me o telemóvel» é de uma criatividade semelhante aos diálogos de Steven Seagal no filme. Mas mesmo assim, e para desanuviar ( já que é de excessos na sala de aula que se trata), ainda prefiro ver os pupilos do professor Keating a trepar carteiras e saudar o seu captain.

30 de março de 2008

Banners "Mamma Mia!"

Banners de "Mamma Mia!", estreia da norte-americana Phyllida Lloyd na realização para a tela, com Meryl Streep, Colin Firth e Pierce Brosnan nos papéis principais, numa estranha ligação entre a comédia cinemtaográfica romântica e os... ABBA!




Posters




27 de março de 2008

Estrelas combatendo o Cancro

Num dos episódios da terceira temporada de "Grey's Anatomy" - "Great Expectations" - Izzie decide investir dinheiro que herdou de um paciente na criação de uma clínica gratuita, a Denny Duquette Memorial Clinic. Sendo uma obra de ficção não lhe custou nada dizer que ia gastar mais de oito milhões de dólares. Caso o gastasse na vida real, dinheiro a sério, o caso ia merecer destaque. Pois foi o que aconteceu. Patrick Dempsey, actor que interpreta o Dr. Derek Shepherd, deu o nome e o dinheiro para um novo hospital oncológico: "Patrick Dempsey Center for Cancer Hope & Healing".
Com instalações do Centro Médico do Maine, onde a irmã trabalha e a mãe foi curada precisamente de um cancro, e contributos de vários benfeitores, o Centro ajudará gratuitamente todos aqueles que sofrem com a doença. A inauguração está marcada para a próxima semana.

Curiosamente este mês Jackie Chan financiou e inaugurou na Austrália o Centro Científico Jackie Chan, em homenagem aos seus falecidos pais que moraram no país durante 40 anos. O foco do Centro também é o combate ao cancro, mas através da investigação.

Hoje estreia...

... "The Mist", e recordamos que podem ler a crítica aqui ou, como sempre, consultar à barra da direita.


23 de março de 2008

Parabéns!

Parabéns, televisão portuguesa, por completarem 100 exibições de "Armageddon"! Que as bocas foleiras daqueles que te invejam não te impeçam de chegar às 200. Boa sorte!

Acautela-te Maria! Já te varreram do Natal, e não há nada que verse melhor sobre a Páscoa do que "O Chupeta", um épico histórico sobre os primórdios do uso do dito instrumento infantil, ainda em tempos de a.C.
E já que falamos de história, o regresso do "Ben Hur" original e da cópia foleira de "Vila Faia" enchem a tarde de programação suprema e criativa da televisão pública. Folgamos em atentar na sobriedade do dito programador, que bem podia por engano ter trocado o milenar filme (que está a ser perseguido no número de exibições pela obra maior de Michael Bay) e escolhido qualquer coisa recente, decente e inovadora. Mas para a próxima, uma sugestão: e que tal programar o episódio original de 1983 de "Vila Faia", e logo a seguir o do remake? Ainda ficavamos enternecidos ao ver um Fiat 600 ser trocado por um Ford Focus!

Ah, abençoado programador televisivo, seu poço de cultura, seu visionário da caixinha mágica, que nos aqueces as tardes destas épocas festivas!


"The Lovebirds" por Nuno Reis

Bruno de Almeida regressa a casa

Cineasta da nova geração do cinema português, Bruno de Almeida é também um dos seus estrangeirados. Desde "A Dívida", curta-metragem que o lançou no Fantasporto - e a que ele próprio se referiu na sessão de encerramento do festival como a sua estreia em festivais – dirigiu, entre outros, dois filmes diametralmente opostos: "On the Run" numa linha próxima do mainstream do cinema americano e que uma eficaz distribuição comercial tornou conhecido, e num registo completamente diferente "The Art of Amália", um documentário sobre Amália e o fado, sobre Portugal e a saudade, visto pelo olhar de um português num exílio voluntário na América.
"The Lovebirds" marca o reencontro do realizador com Lisboa. De novo um olhar só possível por um emigrante luso em que Lisboa discretamente se assume como a personagem feminina principal, suplantando mesmo Ana Padrão. Mosaico de histórias que se desencontram mais do que se cruzam, o filme faz uma combinação inteligente de personagens americanas em situações portuguesas (Michael Imperioli e John Ventimiglia trouxeram ao filme marketing indirecto de "The Sopranos") e dois mitos de Portugal como são, cada um à sua maneira, Fernando Lopes e Joe Berardo e a pairar entre os dois a sombra de "Belarmino".

Num único filme temos vários tipos de amor mesclados, amor universal. O amor à primeira vista, de um norte-americano por uma portuguesa que vê no metro na véspera de voltar para os EUA. O amor de mãe, de uma futura mãe pela criança que carrega no ventre. O amor de fim-de-semana que une ocasionalmente um piloto de avião e uma designer de moda em quartos de hotel. O amor que mata, de um taxista russo por uma prostituta. O amor pelo trabalho de um arqueólogo melancólico que se recusa a sair da cova onde explora o passado numa metáfora à sua vida pessoal. As recordações de um amor passado que dividem dois vigaristas enquanto assaltam um apartamento chique. Um velho realizador a fazer um filme sobre boxe (Fernando Lopes foi uma revelação como actor a interpretar o realizador Fernando Lopes) a gerir um conflito entre a estrela e o verdadeiro pugilista que é demasiado orgulhoso para ser deixado KO numa das cenas. São histórias diferentes sobre amor, amizade e sobrevivência. É um "Love Actually" à portuguesa, com as nossas estrelas e filmado nos nossos cenários. Aqui Lisboa e os lisboetas não são um detalhe secundário, são o centro das atenções e muito mais apelativos que uma campanha Allgarve.

"The Lovebirds" é não só um grande filme como dos poucos motivos de orgulho que o cinema português nos deu nos últimos anos. Nesta história de histórias onde o amor é o fio condutor, os pássaros do amor a que o título faz referência são tão esquivos e frágeis como o próprio Amor. O que sobra é a saudade, a nostalgia de um tempo perdido e a vontade de viver. Com "The Lovebirds" todos esses nossos sentimentos são explicados tão bem que um estrangeiro apenas pode dizer "portuguese do it better".






Título Original: "The Lovebirds" (Portugal, 2007)
Realização: Bruno de Almeida
Argumento: John Frey, Bruno de Almeida
Intérpretes: Michael Imperioli, Ana Padrão, John Ventimiglia, Joaquim de Almeida, Drena De Niro, Nick Sandow, Rogério Samora, Johnny Frey, Marcello Urgeghe, Cleia Almeida, Fernando Lopes, Filipe Vargas, Dmitry Bogomolov
Fotografia: André Szankowski, Edmundo Díaz
Música: Camané
Género: drama
Duração: 83 min.
Sítio Oficial: http://www.arcofilms.com/lovebirds/

Entrar no papel



Impressionante, no mínimo, a transformação que sofre Jared Leto para interpretar o papel de Mark David Chapman em "Chapter 27", do debutante J.P. Schaefer. Chapman, recorde-se, foi o autor dos disparos que vitimaram o activista e músico dos The Beatles John Lennon, a 8 de Dezembro de 1980, em Nova Iorque.

Leto ("Panic Room", 2002; "Lord of War", 2005) engordou 30 quilos para compor o papel do assassino, num filme que estreará muito proximamente nos EUA, e que conta com Lindsay Lohan e Ursula Abbott no elenco. As diferenças são notórias, como podemos comprovar no poster e nesta foto de Jared (em baixo, à esquerda). Ao lado, à direita, o verdadeiro Chapman, fotografado pela polícia.

22 de março de 2008

Jericho - The End (outra vez?)


Jericho, a conhecida série televisiva que referimos várias vezes no Antestreia (I, II, III), foi cancelada pela segunda vez. E se da primeira vez me insurgi (e como eu, uma turba de seguidores que fizeram o favor de enviar uma toneladas de amendoins para a CBS), desta vez concordo - o regresso foi de uma pobreza extrema e de uma falta de criatividade atroz. Talvez afectada pela greve dos argumentistas, ou por pura incompetência, a segunda temporada é um tratado de como não fazer uma série, e a personificação de desleixo criativo.

Assim, Nina Tassler, presidente da CBS Entertainment afirmou que o "episódio de 25 de Março será o de serie finale", mas reconhece que a falta de público leva a esta atitude:

"Without question, there are passionate viewers watching this program; we simply wish there were more. We thank an engaged and spirited fan base for keeping the show alive this long, and an outstanding team of producers, cast and crew that went through creative hoops to deliver a compelling, high quality second season. We have no regrets bringing the show back for a second try. We listened to our viewers, gave the series an opportunity to grow, and the producers put a great story on the screen. We're proud of everyone's efforts."

Será, ao que parece, o final de uma complicada história, que temos vindo a acompanhar desde os seus primórdios.

Sangster será... Tintin?


O jovem actor londrino Thomas Sangster será, segundo rumores recentes, Tintin na adaptação cinematográfica da banda desenhada do belga Hergé. Sangster, que conta com participações em "Love Actually" (2003) ou "Nanny McPhee" (2005) na sua ainda curta filmografia, estrear-se-à numa grande produção, com Steven Spielberg e Peter Jackson na realização. A confirmar-se, irá juntar-se a Andy Serkis (Gollum na trilogia "Lord of the Rings"), este já escolhido para o papel de Capitão Haddock. O filme deverá estrear no próximo ano.








21 de março de 2008

Posters




Quads
















20 de março de 2008

Paul Scofield (1922 - 2008)





Pode ter tido uma carreira à margem do estrelato que merecia e ter ficado aquém da fama de alguns outros seus contemporâneos, na altura em que o cinema inglês de género histórico como se dizia do império mandava no mundo. Mas para nós bastaria o seu papel de Sir Thomas More no filme de Fred Zinnemann para fazer dele um actor para a eternidade.



Biopic histórico "A Man For All Seasons" teve a felicidade de ser reconhecido com seis Oscares um deles para Scofield como melhor actor. Além de tudo mais "Um Homem para a Eternidade" - que no Brasil se chamou sugestivamente "O Homem Que Não Vendeu a Sua Alma" - é um daqueles filmes que apesar de politicamente correcto, nos põe de bem com o mundo e os homens. Sir Thomas More teve o poder, o dinheiro e a honra, mas tudo sacrificou pelos seus princípios morais. Paul Scofield deu-lhe a grandeza de homem de estado, mas deu-lhe também a autenticidade de um homem comum.
Por isso para ele um até á eternidade.

Passatempo Antestreia / ZON Lusomundo "Death Sentence"


SENTENÇA DE MORTE, o último filme do inovador realizador James Wan, é uma clássica história de vingança. Nick Hume (Kevin Bacon) é um calmo executivo com uma vida perfeita, até que numa noite terrível ele testemunha algo que o mudará para sempre. A partir daí nada é demasiado quando se trata de proteger a família.

NOS CINEMAS A 27 DE MARÇO




O Antestreia e a Lusomundo têm para oferecer convites para a antestreia do filme "Sentença de Morte". Para tal, tem que responder correctamente à questão que colocamos aqui em baixo.


Qual o único filme realizado por James Wan já estreado em Portugal?

Se for um dos vencedores, poderá ver este filme em:

Lisboa: Colombo
Antestreia: Dia 26 de Março (Quarta-feira), às 21h30, 15 convites duplos


Atenção: A recepção de respostas para este passatempo termina no dia 25/03, às 23h59. Não se esqueçam de colocar o nome completo na vossa resposta ou a participação não será validada, enviando-a para antestreia_blog@hotmail.com.
Para levantar o seu convite, deverá apresentar-se com o seu BI ou outro documento identificativo (não serão aceites fotocópias) junto das bilheteiras do cinema, a partir das 17h00 do dia do filme.

Os vencedores serão contactados por email.

19 de março de 2008

Robin Williams e a improvisação

Em tempo de Páscoa, e portanto tempo de férias ou descanso para muitos, deixamos aqui um vídeo da entrevista de James Lipton a Robin Williams no "Inside Actor's Studio", um conhecido programa que já aqui referimos, onde o famoso comediante (que regressará a esse estúdio no próximo dia 25) responde à pergunta do que é que se passa nos momentos em que Williams literalmente perde a compostura e se torna no brilhante stand up comic que todos conhecemos. A resposta é dada com um... lenço cor-de-rosa.

Arthur C. Clarke (1917-2008)






Clarke será para sempre recordado por "2001: A Space Odyssey" mas além de autor de ficção científica, era também físico e matemático. Entre os seus trabalhos científicos nos anos 40 encontram-se os satélites geoestacionários e os estudos que levaram o homem à Lua.

Junto com Carl Sagan ("Cosmos", "Contacto") e Gene Rodenberry ("Star Trek") tornou a astronomia não só acessível como apelativa. O seu último contributo para a humanidade foi o patrocínio ao SETI@Home/BOINC que é o projecto científico mais vasto de sempre.

No nonagésimo aniversário deixou uma mensagem aos seus amigos e ao mundo cheia de sabedoria e com alguns pedidos.

18 de março de 2008

Anthony Minghella (1954 - 2008)


Consternação no mundo do cinema. Anthony Minghella, conhecido realizador inglês, morreu hoje, aos 54 anos de idade, segundo informação do seu agente, que não especificou as causas do óbito. Minghella, vencedor de um Óscar de Melhor Realizador em 1997 por "The English Patient", conta com uma pequena filmografia de 8 filmes realizados, de onde se destacam "Truly Madly Deeply" (1990), "The Talented Mr. Ripley" (1999), onde foi nomeado para a estatueta da academia para Melhor Argumento Adaptado, "Cold Mountain" (2003) e ainda "Breaking and Entering" (2006).

Presidente do British Film Institute, Minghella teve em "The No. 1 Ladies Detective Agency", o seu último trabalho. O realizador assina um episódio desta série televisiva, o qual irá para o ar ainda esta semana, em Inglaterra. "New York, I Love You" ("Paris, je t'aime" versão Nova Iorque) e "The Ninth Life of Louis Drax" seriam os seus próximos projectos.


"Lost" visto de outro ângulo

Dominic Monaghan, o Charlie de "Lost", levou mais longe a sua veia criativa e, além da representação, captou um largo número de instantâneos dos locais onde a famosa série televisiva, que já vai na 4ª temporada, tem vindo a ser rodada. A exposição estará patente numa galeria de arte em Hollywood. Aqui podemos ver mais algumas dessas fotos.







17 de março de 2008

Tempo a mais

Mouthmaster Murf e DJ Mayhem são dois senhores que: 1) «compõem» música; 2) têm tempo livre em doses industriais. Aliando estas duas premissas, elaboraram um tema rap revisitando um dos ícones cinematográficos dos anos 80 que é "Predator". Aliás, uma pequena pesquisa na rede ao primeiro músico leva-nos logo à conclusão de que ele é «the sickest vocal scratcher ever from england» e, à partida, não discordo. Rezam as crónicas que demoraram 9 meses a produzir a peça, eles que integram o colectivo The Anomalies, um nome bastante sugestivo, tendo em conta este videoclip:


16 de março de 2008

O que têm em comum Sarah Silverman e Ben Affleck?

Tudo começou numa partida elaborada pela stand-up comic Sarah Silverman, namorada de Jimmy Kimmel, apresentador de um programa na ABC, no formato dos de David Letterman ou de Jay Leno. Silverman elaborou um vídeo intitulado "I'm Fucking Matt Damon", e decidiu difundi-lo em Janeiro, no programa comemorativo dos 4 anos de Jimmy Kimmel Live!, onde foi convidada especial:



A resposta de Kimmel não se fez esperar. Logo após os Óscares, decide ele próprio idealizar um genial vídeo, que conta com um espantoso grupo de convidados que o ajudam nesta vingança. Ver para crer. Ficará por aqui?

15 de março de 2008

"A Outra Margem" premiado no México



"A Outra Margem", drama do português Luís Filipe Rocha, venceu dois prémios na 23ª edição do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, no México. "14 Kilómetros" do espanhol Gerardo Olivares, foi o grande vencedor, mas a película portuguesa recebeu o Prémio Especial do Júri, e Maria d'Aires recebeu o galardão de Melhor Actriz pela sua interpretação na mesma fita. A produção portuguesa está assim de parabéns, num festival que disse ontem adeus à edição de 2008.
Para mais informações, sítio do festival, palmarés e sítio "A Outra Margem".


14 de março de 2008

Quads










13 de março de 2008

Play-Doc 2008





Está a decorrer na vizinha Galiza a quarta edição do festival de documentários de Tui: Play-Doc. Longas-metragens, curtas-metragens, musicais ou mesmo em animação, o único critério é ser documental.
Ao longo de 5 dias serão projectados mais de 30 filmes. Três das noites ficam reservadas para concertos e na tarde de sábado Lech Kowalski dará uma classe magistral.

O site oficial é http://www.play-doc.com/.