17 de fevereiro de 2012

A imprensa internacional reconhece "Tabu"

A O som e a Fúria fez um apanhado do que foi dito sobre o filme na imprensa que acompanha a Berlinale. Veio mesmo a propósito, porque logo depois anunciaram que venceu o prémio FIPRESCI da Berlinale.


O regresso de Portugal à Competição Oficial deste certame não podia ter tido melhor recepção.

O último filme de Miguel Gomes, produzido pela O Som e a Fúria em co-produção com Komplizen Film (Alemanha),Gullane (Brasil) e Shellac Sud (França), causou sensação depois da exibição na passada terça-feira na 62ª edição do Festival de Cinema de Berlim.

"Num preto e branco sumptuoso, um prólogo mitológico, em dois capítulos, o primeiro na Lisboa de hoje, o segundo numa ex-colónia portuguesa em início de libertação, este filme, sob a asa de Murnau, é uma magnífica proposta romanesca e cinematográfica".
Jean-Michel Frodon in Slate.fr

"Mais do que em AQUELE QUERIDO MÊS DE AGOSTO, Miguel Gomes começa TABU de uma forma aparentemente ridícula e, inesperadamente, desloca-se para algo enriquecedor e surpreendentemente poético.
Jay Weissberg in Variety

"TABU é um filme fantástico, tão comovente quanto agradável e certamente um dos favorios ao Urso de Ouro. Jogando com a melancolia dos dias de hoje e o calor e aparente simplicidade da vida no passado, é uma apaixonante facada numa sociedade aprisionada num manto nostálgico.
Patrick Gamble in Cine Vue

"TABU é mais um exercício encantadoramente excêntrico de Gomes na meta-ficção, desenhando o realizador as suas personagens sem seguir qualquer regra narrativa, tornando lugares e experiências comuns num estranho entretenimento contemporâneo".
Deborah Young in Hollywood Reporter

"Num quebra-cabeças liríco imerso na metáfora colonialista e na memória histórica, o português Gomes alcança as experiências oníricas de Apichatpong com uma obra de uma estrutura arrojada a desafiar as especificidades do género. Gomes fez uma obra cinematograficamente decisiva na tradição dos clássicos mas, simultaneamente, subvertendo-os numa consistente narrativa.
Eric Kohn in Indiewire

"É impressionante quando as luzes das sala se acendem e se vê o olhar sonhador dos espectadores encantados com o filme que acabaram de assistir.[…] TABU é ingénuo e engenhoso, desesperadamente trágico e energicamente cómico, falador e mudo. A preto e branco, do príncipio ao fim".
Thomas Sotinel in Le Monde

Depois de tão calorosa recepção vem o reconhecimento do mercado. TABU tem já estreia assegurada em mais de uma dúzia de paises – nos países co-produtores (Portugal, Alemanha, Brasil e França), e no Canadá, Grécia, Suissa, Áustria, Sérvia, Bósnia, Montenegro, Austrália, Estados Unidos da Améria, Reino Unido, México e Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo).

Sem comentários: