14 de março de 2012

Onde não fazer cortes

O ministro grego da cultura ficou um bocado perplexo com o facto de Portugal não ter alguém na sua posição. Algumas das declarações feitas estão alinhadas com o que qualquer um diria:

“O nosso país não cria apenas muitos benefícios através da cultura mas fala ao mundo através da cultura e ter uma voz forte especialmente no meio da crise é muito importante”

“Alguns dos nossos melhores embaixadores em todo o mundo são as pessoas das artes, que se movem bem na arena internacional através do cinema, da arquitectura e da arte e andarem no estrangeiro a falar pela Grécia é um dos melhores investimentos que podemos ter”

“Há sempre um debate sobre as funções de um ministro da Cultura e quais são os propósitos que o Ministério deve ter, mas se isolarmos estas duas coisas encontramos boas razões para termos a Cultura ao nível ministerial e é nisto em que acreditamos desde o princípio”

“Tento persuadir os jovens a ficar aqui e evitarem da emigração”

in Público

Por muito mal que esteja a Grécia, a sua cultura sobreviverá a qualquer governo. Em Portugal esperemos que se possa dizer o mesmo.

Sem comentários: