23 de maio de 2012

2012 - o ano em que fizemos contrato



Se eu tivesse de apostar dinheiro sobre qual o ano em que foi transaccionado mais dinheiro no mercado de Cannes seria certamente 2012. Oficialmente o mercado durará até sexta, mas todos sabem que se até ontem não fizeram o trabalho prévio agora não conseguirão mais nada. O dia de hoje é só para assinar algo que esteja em falta e ir ver um ou outro filme da competição. Amanhã o circo estará desmontado.
E então que fundamentos tenho para dizer que o mercado deste ano foi o melhor de sempre em todos os aspectos? Aquele em que se decidiram mais co-produções e em que se venderam mais filmes? É uma mera questão climática. Dias 16 e 17 o tempo estava soberbo. Tão bom que quando me perguntavam em que paragem deviam sair para “o festival” (como se o festival fosse um só sítio) eu recomendava descaradamente a última de forma a poderem caminhar e apreciar o sol, as vistas e a animação desta vila temporariamente tornada em feira de vaidades. Pois a partir de sexta se me tivessem perguntado eu seria honesto e diria que era a penúltima pois sair 200 metros depois teria como única diferença o tempo que andariam à chuva. Sexta choveu. Sábado esteve cinzento. Domingo choveu. Segunda choveu.Terça o dia começou bem, mas entre as 10 e as 13 choveu... Todo esse tempo as pessoas que costumam andar a passear, estavam no mercado. Nunca vi afluências tão grande nos pavilhões nem nos stands. Nos pavilhões todos os dias pareciam dias de festa com mais de trinta pessoas enviadas em espaços de 10 metros quadros. Se com todo esse contacto não fizeram os negócios que tinham a fazer, a única justificação será mesmo a falta de dinheiro.

Sem comentários: