24 de agosto de 2012

A situação do cinema português na imprensa francesa


"Linhas de Wellington", "A Última Vez Que Vi Macau" e "Tabu" estão na competição do Festival de Nova Iorque. Enquanto o primeiro está na selecção de Veneza, o segundo trouxe uma menção de Locarno e o último ganhou dois prémios em Berlim, o futuro do nosso cinema parece muito negro.

Em entrevista à Agência France Presse, os realizadores Joaquim Sapinho, João Pedro Rodrigues e o produtor da Rosa Filmes, Pedro Fernandes Duarte, alertam para o facto de o cinema português estar a passar actualmente por um período crítico, sem financiamento nem apoios para a produção de filmes, após o corte de 100% nos apoios do Instituto do Cinema e Audiovisual decidido pelo Secretario de Estado da Cultura, Dr. Francisco José Viegas.

A situação alarmante que todos conhecemos suscitou a atenção dos principais meios de comunicação franceses, entre os quais Libération, que destaca uma citação de Pedro Duarte como uma das frases do dia, TV 5 Monde, com uma reportagem alargada, e também France 24, Le Parisien, L’Express, Le Nouvel Observateur, L’Echo Républicain, entre outros.

Joaquim Sapinho, realizador e fundador da Rosa Filmes afirma: "O amor pelo cinema é o último recurso dos realizadores portugueses. Só nos resta o amor pelo cinema para realizar. O financiamento inicial pode não acontecer até 2014. O que é que acontece com as produções deste ano e de 2013? Hoje em dia, somos forçados a recorrer a empréstimos e a contar com amigos ou colegas para concluir projectos em andamento."

Pedro Fernandes Duarte, produtor da Rosa Filmes acrescenta, numa afirmação escolhida pelo Libération como frase do dia: “Neste momento, não temos meios para financiar as cópias”, aludindo ao atraso na estreia do novo filme de Joaquim Sapinho, "Deste Lado da Ressurreição" que tem a sua estreia em Portugal atrasada por falta de verbas, em consequência da decisão do Secretário de Estado da Cultura em cortar em 100% os financiamentos ao cinema do Instituto do Cinema e Audiovisual, depois de o filme ter tido estreia mundial no maior festival de cinema da América, o Festival de Cinema de Toronto, de ter sido escolhido pela revista nova-iorquina Film Comment como um dos melhores filmes de 2011, e de ter sido mostrado nas mais importantes cinematecas da América, como o Harvard Film Archive - cinemateca da Universidade de Harvard - e o Anthology Film Archives - fundado pelo pai do cinema avant-garde americano, Jonas Mekas.

Pedro Fernandes Duarte exprime ainda a preocupação com as equipas técnicas ao dizer que “Montadores, técnicos... para sobreviver muitas pessoas irão ter que mudar de emprego ou emigrar."





Sem comentários: