2 de novembro de 2012

Venham mais cinco


O cinema nacional vai conseguir novo feito. "Balas e Bolinhos 3" e "Linhas de Wellington" após uma semana menos boa passaram o fim-de-semana a fechar o top 10 dos filmes mais vistos. Um pouco abaixo na tabela vemos "O Gebo e a Sombra" e em 38º "Morangos com Açúcar". Com a estreia ontem de "A Moral Conjugal" e para a semana "Aristídes de Sousa Mendes", poderemos perfeitamente manter os cinco filmes de produção nacional em exibição comercial simultânea pelo país. Termos cinco ou talvez seis filmes espontaneamente em exibição é algo fabuloso e que não me lembro de ver.

A medida "Venham Mais Cinco" - que obriga as rádios a passarem um quinto de música lusófona - no cinema seria anedótica. Seria mesmo mortal para a exibição comercial. Então porque não definirmos nós, espectadores, esse mínimo? Porque não definir uma ida por ano ao produto nacional? Podem ir ver Ismael ou Oliveira, para público infantil ou adulto, mas dêem uma oportunidade ao que é nosso. Contra mim falo que não vejo tanto cinema nacional como devia, mas, dos seis em discussão, dentro de uma semana só não terei visto aquele com nome de sobremesa. Não são maus, continuo aqui.

O número de idas ao cinema per capita é deprimente, mas estou certo que entre os que lêem este espaço será no mínimo de uma vez por mês.

Sem comentários: