1 de dezembro de 2012

"Balas 3" só sai dia 8

Começou a circular pela internet a seguinte mensagem do realizador Luís Ismael:
"Hoje começou a circular na net uma cópia de trabalho, isto é, NÃO é a versão final do Balas 3.
Esta cópia foi visionada no cinema Lusomundo Parque Nascente muito antes da estreia do filme.
Não quero acreditar que um profissional deste cinema, do qual tenho o maior respeito, tenha colocado online uma versão NÃO FINALIZADA do filme, mas parece que assim o é.
Da minha parte só posso lamentar, não pelo acto infeliz de colocar o filme inacabado na internet como sendo a versão final, mas principalmente pela falta de respeito pelo trabalho de dezenas de profissionais que em durante TRÊS ANOS trabalharam para que o último balas chegasse aos seus fãs, admiradores e público da melhor forma possível.
Este balas que agora anda na internet não é aquele que divertiu 250,000 espectadores no cinema.
É uma cópia de trabalho inacabada e é por isso uma FRAUDE e para mim é um momento muito triste.
Bastava terem esperado 6 dias para colocarem online a versão final na internet.
Apenas 6.
Mas agora sei que 6 é o coeficiente de inteligência do imbecil que colocou o ficheiro online."

Por um lado percebe-se a indignação de ver o trabalho de três anos diminuído, mas isto não é fazer publicidade à versão pirateada? Não está a ajudar ao roubo do tão necessário lucro?

A verdade é que o fenómeno Balas se tornou superior a isso. Com estes números (a minha estimativa era a mais optimista e disse 200000) a passagem pelos cinemas foi lucrativa e, mais importante, o feedback foi positivo. O DVD continua a ser uma importante fonte de rendimento, mas ficou provado que mesmo depois de uma década esta saga tem muitos milhares de seguidores e, saindo o DVD, vão seguramente comprá-lo.

Ter saído o filme na net seria mau. Ter saído a versão errada é boa publicidade pois quem olhar para esta vai desejar ver a final que é melhor. Aliás, se não fosse a acusação ao pessoal das salas, eu diria que a colocação da versão antiga na net e este alerta mediático para o facto, tinham sido total da responsabilidade da Lightbox como técnica ousada de marketing. Se alguém no país o conseguiria fazer com sucesso seriam eles.

Se não quiserem ir ao cinema vê-lo (ainda há 6 sessões diárias distribuídas por 3 salas na região do Porto) resta-lhes esperar uma semana para ter o filme. Dia 8 às 18h no NorteShopping há sessão de autógrafos e outra dia 11 pelas 21h no Colombo. Antes disso, dia 4 vai sair uma surpresa da Lightbox que pode ou não estar relacionada com este filme...


Vejam a pergunta sobre o tema na entrevista feita na distribuidora ZON Lusomundo.

Sem comentários: