23 de março de 2013

Prémio EM Curtas usa Cinema para espalhar mensagem


Podem ir aqui para ler o regulamento e contactos.

A Novartis, em parceria com o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), lançou o primeiro Prémio EM Curtas, dirigido a estudantes das áreas de cinema e audiovisuais de todo o país.

Esta iniciativa pretende divulgar e sensibilizar a sociedade para a temática da Esclerose Múltipla, fomentando a realização de curtas-metragens, com a duração máxima de dez minutos, que possam contar histórias sobre como é viver com esta doença.

Para tal, os estudantes contam com o apoio das três associações de doentes no país, a Associação Nacional de Esclerose Múltipla (ANEM), a Associação Todos com a Esclerose Múltipla (TEM) e a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM). Às associações caberá o papel de promover a interação dos estudantes com doentes e as suas famílias para que percebam o que é a esclerose múltipla, o seu impacto no dia-a-dia, transportando a sua visão da doença para o grande ecrã.

O Prémio EM Curtas conta também com a parceria dos Cinema City e de sete escolas que incentivarão os seus alunos a participar, são elas a Escola Superior de Teatro e Cinema do Politécnico de Lisboa (ESTC), a Escola Técnica de Imagem e Comunicação Aplicada (ETIC), a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, o Instituto de Criatividade, Artes e Novas Tecnologias (Restart), a Universidade da Beira Interior, a Escola Superior Artística do Porto (ESAP) e o Instituto Politécnico de Leiria.

As candidaturas estão abertas até ao dia 30 de Abril de 2013 e podem ser apresentadas individualmente ou em grupo, no máximo de até três estudantes. As candidaturas podem ser feitas diretamente na área reservada do site do ICA, em http://www.ica-ip.pt/pagina.aspx?pagina=200.

O júri é presidido por Mariana Pimentel, representante do ICA, e composto pelo realizador português Gonçalo Galvão Teles, por um membro de cada uma das associações de doentes e por um representante da Novartis que irão avaliar os trabalhos recebidos reconhecendo aqueles que promoverem um conhecimento sobre a doença e o seu impacto nas esferas pessoal e social. Será valorizada a utilização de testemunhos reais de pessoas com esclerose múltipla e a capacidade dos realizadores para sensibilizar e impactar a opinião pública, chamando a atenção para esta doença.

Os vencedores vão ser conhecidos por altura do Dia Mundial da Esclerose Múltipla, que se assinala a 30 de Maio, e serão distinguidos com os prémios de 2.000 €, 1.000 € e 500 €, respetivamente, para o primeiro, segundo e terceiro lugares.

Sobre a Esclerose Múltipla
A EM afecta cerca de 5.000 portugueses. Em todo o mundo são cerca de 2,5 milhões de pessoas com esta doença inflamatória crónica do sistema nervoso central que se manifesta em jovens adultos, entre os 20 e os 40 anos de idade, e que interfere com a capacidade do doente em controlar funções como a visão, a locomoção, e o equilíbrio. As mulheres têm duas vezes mais probabilidades de desenvolver EM do que os homens.
A EM tem um impacto significativo na qualidade de vida dos doentes e das suas famílias. Cerca de 85% das pessoas com EM queixam-se de fadiga constante independentemente do seu grau de incapacidade provocado pela doença, o que interfere com a sua qualidade de vida e produtividade.

Sem comentários: