23 de fevereiro de 2014

Isto é que foi um dia de cinema!

22 de Fevereiro de 2014 é um dia que irei recordar por muito tempo. Foi um dia de ver muitos bons filmes.

Tudo isto começou com a obrigação de ver o máximo de filmes oscarizados antes das 8 da manhã desse dia. Era uma necessidade que já vinha de há muito tempo, mas, como sempre, nada como deixar o grosso do trabalho para os últimos dias. Foram mais de trinta nos úlimos meses, mas desses vi talvez uma dezena na última semana. E não foi nada má esta viagem no tempo. Por exemplo, voltei a abrir a colecção Clint Eastwood que estava a ganhar pó há dois anos para ver "Unforgiven". Consegui controlar-me e não ver tudo o resto.
Hoje foi melhor porque tive várias surpresas. O DVD importado "Bailando con Lobos" que numa década nunca tinha funcionado, agora está a dar. Bendito leitor do computador! Depois desse vi mais três velhinhos (anos 40, 50 e 70) e entre eles descobri um novo merecedor de nota máxima. Mas isso podia acontecer facilmente. É um conjunto de filmes distinguidos pela sua qualidade, foram seleccionados há muito e sobreviveram ao teste do tempo. O melhor foi o que aconteceu de tarde. Uma partida do destino.

Há um mês ou parecido, fui presenteado com um trailer irresistível para "The Book Thief" logo seguido de um irresistível para "The Monuments Men". Prometi-me ver esses filmes tão semelhantes juntos e este foi esse dia.

Para não me enervar com esses destruidores de cultura e não ficar com pesadelos à custa de tanto desperdício, optei por intervalar com algo muito leve: uma viagem ao mundo mágico Disney para salvar Mr. Banks. Três dramas com toques de comédia e diferentes temas que partilham a mesma mensagem: o mundo é belo, mas isso depende muito das pessoas.

Pois a verdade é que entre filmes velhos e novos, descobri um novo favorito e tenho quatro belos rascunhos de críticas a fervilhar na minha mente. Acho que é mesmo por isso que adoro Cinema. Infelizmente hoje em dia não é fácil descobrir um filme que nos lembre isso, quanto mais sete de uma vez.

Sem comentários: