21 de maio de 2015

“Bicicleta” de Valter Hugo Mãe marca terceiro dia “a preto e branco”


Amanhã, sexta-feira, 22 de Maio – terceiro dia do Festival Audiovisual Black & White –, a Católica Porto é palco de mais uma competição vídeo, totalmente a preto e branco. São seis as curtas-metragens apresentadas, destacando-se, por exemplo, “Ajuste de Contas”, do português Alexandre Martins, ou “Tekilla – Só há um”, da autoria de Bernardo Caldeira e Francisco Gomes. A primeira conta a história de dois agentes que interrogam um suspeito acusado de ter cometido um grave crime. Já a segunda centra-se no “Só há um”, tema retirado do álbum “Erro perfeito”, de Tekilla. A exibição das obras tem início às 21h45, no campus Foz da Católica Porto.

O programa de sexta-feira inicia-se, contudo, às 11h00, com a sessão de screening com Toni Bestard, vencedor da última edição do Festival Black & White. O momento integra a exibição de “El perfecto desconocido”, que mostra como a chegada misteriosa de um estrangeiro a uma pequena vila numa ilha do Mediterrâneo provoca o súbito interesse de um grupo diversificado de vizinhos que acreditam que ele irá reabrir uma velha loja. A história mostra, todavia, que as intenções do estrangeiro escondem-se por detrás de uma velha fotografia Polaroid, que o levou até aquele lugar à procura de respostas.

Já a tarde reserva dois momentos de screening, um a cargo do Cineclube do Porto e outro dinamizado por Luis Vieira Campos, realizador de “Bicicleta”, escrita por Valter Hugo Mãe, e que venceu o prémio Melhor Curta-Metragem no XX Festival Caminhos do Cinema Português. A história assume-se como uma reflexão sobre o instinto de sobrevivência e a extrema defesa da dignidade que mostra, ainda, o Bairro do Aleixo como uma cidade vertical. O dia termina com mais uma noite Black & White. A entrada é gratuita.

Sem comentários: