1 de maio de 2010

"The Bridge on the River Kwai" por Nuno Reis


Um dos mais conceituados realizadores do cinema britânico tem apenas 17 filmes. Desses, um terço é muito falado, os outros são bons e são ignorados. Nos anos quarenta, a preto e branco, começou pelo cinema de propaganda militar, passando para a comédia assente na pacata vida familiar. De destacar que nessa época fez uma magnífica história de amor "Brief Encounter" e adaptou Dickens em "Great Expectations" e "Oliver Twist". Os filmes que se seguiram, tal como os primeiros da carreira, apesar de bons não têm sido devidamente divulgados. Quase dez anos depois começa um novo trio de filmes que não só entram para a restrita lista de clássicos, como ganham o epíteto de obras-primas. Tem "Lawrence of Arabia" e "Doctor Zhivago", ambos com Alec Guinness, mas antes de todos esses tem "The Bridge of the River Kwai".

Aqui Alec Guinness é o Coronel Nicholson, líder de um contingente britânico capturado pelos japoneses. No campo de prisioneiros o Coronel Saito informa-os que no dia seguinte irão ajudar a construir a ponte sobre o rio Kwai. Nicholson guia-se pela Convenção de Genebra para proteger o interesse dos seus homens, e pela honra britânica para cumprir a missão melhor do que os japoneses. Entretanto um grupo furtivo de ingleses e americanos aproxima-se para destruir a ponte, e todos os ocupantes do comboio inaugural.
Honra, loucura e obsessão. Nicholson é um homem que não se pode evitar admirar, respeitar e temer. O que ele diz tem de ser verdade, e os seus pedidos são ordens porque tudo nele é integridade e rectidão. Numa situação extrema ser correcto pode não ser a melhor forma de sobreviver. Os militares que se baldam ao serviço com baixas médicas compradas têm melhores hipóteses. No entanto Nicholson consegue manter a obediência dos seus homens e ganhar a confiança dos captores. Mas será que ainda sabe de que lado está a lutar?

É um filme com nos deixa presos do início ao fim. Vemos que a coragem em cenário de guerra não reside em matar ou morrer, mas em enfrentar todas as situações de cabeça erguida. A história acaba por ser dos elementos menos importantes no meio de todas as qualidades que tem. A destacar a edição de som deste a cena inicial, a direcção de actores e figurantes, a maravilhosa fotografia e realização, mesmo no meio da floresta e debaixo de chuva. Mais do que um filme, é uma experiência a ser vivida.

Título Original: "The Bridge on the River Kwai" (EUA, Reino Unido, 1957)
Realização: David Lean
Argumento: Carl Foreman e Michael Wilson (inspirados no livro de Pierre Boulle)
Intérpretes: Alec Guinness, William Holden, Jack Hawkins, Sessue Hayakawa, James Donald
Fotografia: Jack Hildyard
Música: Malcolm Arnold
Género: Aventura, Drama, Guerra
Duração: 161 min.

1 comentário:

Pedro Afonso disse...

Puseste-me a assobiar...
Abraço