2 de junho de 2007

Jericho




A par de "Heroes", que terminou recentemente a primeira temporada nos EUA, muitas outras séries de qualidade têm desabrochado de uma indústria que cada vez mais se muda para um cinema em episódios, mas com uma grande qualidade de produção, realização e interpretação.
Outro exemplo desta aposta é "Jericho", uma ideia com a chancela da norte-americana CBS, onde, e repentinamente, passamos a fazer parte de Jericho, uma pequena cidade do Kansas, que vê regressar a casa Jake (Skeet Ulrich), filho do mayor, que a havia abandonado 5 anos antes, para paradeiro e profissão incertos. Cá chegado, é (a par de todos os outros habitantes) surpreendido por um barulho e tremor de terra que, e ao subir ao telhado da casa e vislumbrar o horizonte, se transforma num pesadelo: uma nuvem em forma de cogumelo anuncia que uma explosão nuclear teve lugar a centenas de quilómetros de distância. Sem electricidade, gasolina, telefones, e com todos os problemas inerentes desta situação, vêm-se numa terrível situação: não sabem o que aconteceu, se foi acidente ou ataque, se estão a ser inavadidos ou não, no fundo, desconhecem por completo o que se passa. E com eles, encontramo-nos nós, espectadores, que nos deixamos embrenhar na história e na ausência de informação, e que vamos conhecendo pouco a pouco alguns dos principais habitantes de Jericho, que encerram segredos tão profundos como o que verdadeiramente se passa nos EUA - só nos damos conta de que aquela explosão não foi a única naquele continente.
Com um ritmo elevado, belas interpretações e com um argumento convincente, "Jericho" é um produto de alta qualidade, aliando uma das grandes preocupações dos EUA da actualidade (o terrorismo) ao olhar pela lente de uma pequena cidade, onde pouca ou nenhuma informação chega. Interessante, sem dúvida, esta opção por uma reduzida comunidade, unindo temores globais a intrigas caseiras que oferecem um ritmo intenso e aquele prazer de esperar por desenvolvimentos no episódio seguinte. Com um elenco onde se destacam as interpretações de Skeet Ulrich, Ashley Scott, Sprague Grayden, Kenneth Mitchell e Lennie James, referência para o facto da série ainda não estar comprada para Portugal, por isso aconselha-se as televisões a dar uma vista de olhos a mais um belo produto televisivo. Para mais informações, sítio oficial e o indispensável imdb.



1 comentários:

naovouporai disse...

uma pena ter sido cancelada :(