7 de junho de 2007

"Pirates of the Caribbean: At World's End" por Nuno Reis





Em 2003 a Disney fez um filme inspirado numa das suas diversões. Aquilo que parecia um acto de desespero para remediar a falta de imaginação, foi um blockbuster nomeado para cinco Óscares e, quatro anos depois, a saga vai em três filmes e sempre a facturar.

Em Maio foi a vez do terceiro filme. Desta vez Elizabeth, Will e Barbossa vão à Ásia (e ao fim do mundo) para resgatar Jack da condenação eterna e levá-lo ao conclave dos piratas. Esta irmandade dos nove foi formada há muitos anos e apenas se reúne em tempos de crise. E desta vez a crise pode ser maior do que todos eles pois, como se viu no filme anterior, Lord Beckett recrutou Davy Jones e tem por objectivo o domínio completo dos mares. A última esperança dos piratas é que juntos consigam enfrentar e derrotar a armada. Mas, tal como Jack disse no primeiro filme, se há algo em que podes confiar é que um pirata desonesto será sempre desonesto e isso é especialmente visível entre Jack, Barbossa, Will, Sao Feng e Elizabeth. As cinco pessoas que poderiam fazer algo pelo sucesso da missão vão dedicar as suas energias a trair os restantes por algum motivo pessoal.

O que podemos esperar de novo em mais um episódio do mesmo? Todas as criaturas monstruosas já fora libertadas, mataram uma personagem central, apenas uma evolução dos heróis podia trazer algo de diferente a uma saga que parecia esgotada. O primeiro episódio foi um género de cinema de acção diferente, recuperou os desaparecidos filmes de piratas e revitalizou o cinema fantástico comercial. No segundo episódio o argumento foi mais fraco, já não trazia nada de novo e portanto usou e abusou das criaturas monstruosas e das maldições. A história ficou propositadamente mal contada para cativar espectadores para mais um capítulo. E chegou agora a vez desse terceiro capítulo…
É bastante superior ao filme anterior (o que não é difícil) e todos os fãs do primeiro filme gostarão deste. Aqueles que ficaram indiferentes aos outros dois filmes, não acharão este terceiro merecedor da deslocação. O argumento está ainda mais repleto de acção e apesar de ter quase três horas o tom divertido faz com que passe muito bem. Deixam a história frouxamente fechada, mas quem ficar até ao final do genérico pode ver ainda mais uma cena que tanto pode ser interpretada como um final mais feliz da saga como um ponto de partida para novas aventuras.






Título Original: "Pirate of the Caribbean: At World's End" (EUA, 2007)
Realização: Gore Verbinski
Argumento: Ted Elliott e Terry Rossio
Intérpretes: Johnny Depp, Geoffrey Rush, Orlando Bloom, Keira Knightley, Bill Nighy, Stellan Skarsgård
Fotografia: Dariusz Wolski
Música: Hans Zimmer
Género: Acção/Aventura/Comédia/Fantasia
Duração: 168 min.
Sítio Oficial: http://disney.go.com/disneypictures/pirates/atworldsend/

3 comentários:

pneu_atrasado disse...

Era escusado falar-se no final do filme. quando será que vão aprender isso?

RC disse...

Fim do filme? Eu confesso que não o vi, e ao ler a crítica fico a saber que nos créditos (fica na sala até ao fim dos créditos do filme, caro leitor?) há uma cena final, com dupla interpretação. Não sei o que vou encontrar. De resto, no Antestreia, sempre que revelamos algo colocamos a palavra "spoiler" a alertar. Obrigado pela visita.

pneu_atrasado disse...

Desde já vos peço imensas desculpas, mas tinha outro blog aberto e pensei que estava a comentar um artigo dele, não do vosso.

Abraço