9 de março de 2010

Ainda a robótica


Após o Fantasporto e o seu ciclo dedicado à robótica fiquei mais alerta ao que esse mundo nos traz. Esta notícia fez-me recordar o cão perseguidor de "Fahrenheit 451".

O INESC Porto e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) integram um consórcio pioneiro no mundo que será responsável pela constituição dos primeiros robôs vigilantes "inteligentes".
ROBVIGIL é o nome do projecto, que arrancou em Fevereiro. Pretende-se que estes robôs sejam extensões dos operadores humanos no terreno, com capacidade de fazer rondas, reconhecer e seguir intrusos, bem como de trabalhar em equipa com outros robôs ou mesmo com humanos através de tele e videoconferência, o que não acontece com as actuais soluções de segurança.
Outra das metas do projecto é a redução dos riscos humanos associados às tarefas de vigilância, graças a potencialidades específicas dos futuros robôs, tais como atravessar locais perigosos (com gás, chamas, etc.).
Orçamentado em 1,2 milhões de euros, o ROBVIGIL tem uma duração prevista de dois anos. As primeiras unidades experimentais devem chegar ao mercado já em 2012.[...]

Dois anos é o que nos separa dessa realidade? Quando é que a ficção se tornou ciência e porque não me avisaram?

Sem comentários: