31 de março de 2010

"The Crazies" por Nuno Reis


A especialidade de Romero são os zombies, mas por algumas vezes presenteou-nos com outros géneros de terror. Uma das suas incursões fora dos zombies, apenas cinco anos depois de "Night of the Living Dead", foi "The Crazies". Não era de zombies, aqui simplesmente havia pessoas que ficavam transformadas e agressivas por causa de um vírus. Este retrato da sociedade na época parecia simples ficção-científica por aludir a uma então inimaginável guerra biológica. Quase quarenta anos passaram, a mesma história está de volta, mais real do que nunca.

Numa pequena vila da Pensilvânia, David é o chefe da polícia e Judy, a sua esposa, é a médica da terra. Tinham uma vida feliz até que um homem armado invade o campo de jogos. O comportamento do homem era apenas um sinal, lentamente outras pessoas começam a demonstrar um comportamento estranho. David não tem mãos a medir, até que aparece o exército para dar uma ajuda. Isolam a vila, começam uma descontaminação dos saudáveis e a eliminação dos infectados. Só que a triagem é feita de forma apressada. Se David quer chegar a ser pai, terá de superar a doença e o exército.

Não sendo o clássico filme de zombies, para quem procura apenas terror tem os elementos comuns. O vírus liberta a agressividade instintiva do homem tornando-o um perigo para os que o rodeiam. Para o combater, o governo coloca os militares em campo. Não estão infectados, mas são igualmente agressivos e atiram a matar. Os civis tentam sobreviver no centro do fogo cruzado. Portanto, é um filme de zombies que em vez do habitual frente a frente bons versus maus, tem bons versus dois exércitos maus. Dobro da emoção? Não.
A segunda vantagem é que, enquanto nos filmes de zombies o espectador sabe pelas feridas que alguém é ou se vai transformar em morto-vivo e morder o pescoço do salvador, aqui há uma transição lenta. Uma pessoa pode estar infectada, mas combater parcialmente o impulso assassino. Nada no aspecto ou comportamento selvagem dá garantias de estar ou não infectada.

A narrativa é surpreendentemente agradável para o estilo de filme que é. Será uma boa entrada no género para quem não tenha ainda estabelecido contacto com os clássicos. Para quem devora filmes de zombies ao pequeno-almoço a sensação de déjà vu está garantida.

Título Original: "The Crazies" (EUA, EAU, 2010)
Realização: Breck Eisner
Argumento: Scott Kosar e Ray Wright
Intérpretes: Timothy Olyphant, Radha Mitchell, Joe Anderson, Danielle Panabaker
Fotografia: Maxime Alexandre
Música: Mark Isham
Género: Ficção-Científica, Terror, Thriller
Duração: 101 min.
Sítio Oficial: http://www.thecrazies-movie.com/

1 comentário:

Tiago Ramos disse...

Eu gostei bastante e concordo com a nota final. É um filme agradável, que entretém... que consegue ter os seus momentos de suspense e que permitem o saltinho na cadeira... mas também tem aqueles momentos divertidos, mesmo à Fantas.