5 de março de 2013

Spielberg voltará a fazer de Kubrick

Depois de "A.I. - Artificial Inteligence" chegou a vez de "Napoleon".
Kubrick fez uma pesquisa exaustiva sobre o governante e tinha tudo planeado para o começar a rodar. Entre o espólio do realizador encontrava-se uma carta de 1971 onde dizia aos estúdios que tencionava fazer o melhor filme de sempre. Também foram lidas uma carta onde convidava o actor austríaco Oskar Werner para o papel principal, e uma de Audrey Hepburn a desculpar-se com a pausa auto-imposta (durou 9 anos) para não aceitar fazer esse filme, mas pedindo para ser lembrada noutra ocasião.
O argumento de "A.I.", que Spielbrg adaptou, datava de 1970.

As piores notícias são que Spielberg pretende fazer uma mini-série em vez de um filme, mas isso não deverá retirar valor ao argumento que Kubrick tinha em mãos após filmar "A Clockwork Orange".

Se para cada filme que Kubrick deixou no papel tivermos um novo de Spielberg, não se perdeu tudo.

1 comentário:

Rafael Santos disse...

Por um lado tou entusiasmado por este argumento ver a luz do dia. Mas por outro tenho receio, pois o Kubrick era aquele génio peculiar com um estilo narrativo e visual tão próprios. Não desfazendo o trabalho do grande realizador que é o Spielberg, mas tenho as minhas dúvidas quanto ao que pode sair daqui. Tenho sentimentos mistos quanto a isto.

Cumprimentos,
Rafael Santos
Memento mori