4 de março de 2012

"Avé" por Nuno Reis

No distante ano de 2010, no Marché du Film, um filme destacou-se, não exactamente pela qualidade, mas pela diferença em relação a tudo o que se lá vendia. Nesse primeiro ano não teve sorte, mas quando um ano depois voltou a Cannes na condição de concorrente na Semana da Crítica os olhos do mundo começaram a ficar mais atentos.

Kamen é um adolescente búlgaro que atravessa o país à boleia para ir a um funeral. Pelo caminho encontra Avé que também depende dos condutores alheios para a sua viagem em visita à avó doente. Só que assim que entram no carro seguinte, Avé começa a contar uma incrível história sobre ambos que surpreende Kamen. Como Avé fala inglês - uma diferença educacional que será percebida mais tarde - Kamen fica incapaz de a contrariar perante os condutores estrangeiros e ela aproveita esse ascendente para definir à partida a sua relação.

Este formato invulgar de road movie surpreende quem o vê. Primeiro porque é uma pequena produção búlgara, cinematografia que não costuma ser muito divulgada no estrangeiro. Em segundo porque esta odisseia mostra não só o país e as suas gentes, como partilha uma visão inocente de uma realidade difícil. E em terceiro porque Avé é uma personagem encantadora a quem perdoamos todas as mentiras.
A relação entre os dois e com o mundo é única e por vezes divertida, permitindo que se passe um bom momento enquanto se assiste à viagem. Aquilo que parece um filme ligeiro depressa se torna numa obra que obriga a um pouco de reflexão sobre a vida e o que fazemos dela. Será melhor viver a triste realidade ou criar uma nova vida perante cada pessoa com quem nos cruzamos? E alguém merece a confiança de saber a verdade? Após colocar essas questões, “Avé” garante que não o esqueceremos, atacando aquela mesma inocência que despertou em nós.
É um filme querido e manipulador que não dá nas vistas até ao final. Num visionamento convencional, com isso quero dizer “único filme visto no dia”, irá permanecer por muito tempo na mente. Em contexto de festival, precedido e seguido por vários outros filmes, pode passar despercebido o que seria uma pena. O filme de Konstantin Bojanov é para ver, pensar e digerir.

AvéTítulo Original: "Avé" (Bulgária, 2011)
Realização: Konstantin Bojanov
Argumento: Arnold Barkus, Konstantin Bojanov
Intérpretes: Angela Nedialkova, Ovanes Torosian
Música: Tom Paul
Fotografia: Nenad Boroevich, Radoslav Gochev
Género: Drama
Duração: 86 min.
Sítio Oficial: http://www.facebook.com/ave.the.movie

Sem comentários: