27 de novembro de 2011

Livro "The Hunger Games" por Nuno Reis

Recomendações
Ouvi falar dos livros a propósito da adaptação para cinema. Como prometiam um banho de sangue que dificilmente seria visionável no escalão etário Maiores de 12 fiquei imediatamente decidido a lê-los. Ter na capa opiniões favoráveis de Stephen King (o Mestre) e Stephanie Meyer (aquela que casa humanos saborosos com vampiros vegetarianos) acabou por ser o menos importante pois quando as vi já tinha os livros e estava a lê-los.

De onde veio
Comprado numa promoção da Editorial Presença: 3 livros entregues em casa por 29,90€.
Já comprei um total de cinco livros por este sistema e recomendo-o. Simples, prático (pagamento por MB), chegaram sempre em perfeitas condições e no prazo indicado. Acabaram as desculpas para não se comprar livros.

A história
Numa América do Norte pós-apocalíptica, o Império Panem tem catorze regiões. O Capitólio governa, cada uma das outras regiões tem uma identidad própria que causa um equilíbrio artificialmente estável: o Distrito 1 faz extracção e trabalho de pedras preciosas; o Distrito 2 faz extracção mineira e treino de soldados; o Distrito 3 desenvolve a electrónica e tecnologia; o Distrito 4 é forte em pesca e demais profissões ligadas ao mar; no Distrito 5 trabalha-se energia e electricidade; o Distrito 6 especializou-se em transportes (e são viciados em drogas); o Distrito 7 é um extenso pinhal e fornece madeira; o Distrito 8 por ser frio fabrica grandes quantidades de têxteis para eles e para os outros; os Distrito 9 e 10 são a origem dos cereais e gado respectivamente; o Distrito 11 é cultivado para alimentos e algodão e finalmente o 12 é a fonte de carvão. Quanto ao 13 em tempos dominava a tecnologia nuclear e iniciou uma guerra contra o Capitólio, mas perdeu e foi totalmente destruído restando apeans radiação.
Como lembrança pelo golpe de estado fracassado todos os anos cada distrito envia dois dos seus jovens para um combate mortal que serve para entretenimento ao Capitólio e como tormento permanente aos demais, obrigados a assistir à morte dos seus filhos. As regras do torneio dizem que só um pode sair vivo da arena e lá dentro vale tudo excepto canibalismo. Todas as mortes, transmitidas em directo, são noticiadas aos participantes com um tiro de canhão e no final do dia o céu mostrará as fotos dos desaparecidos. Se o jogo estiver a ser aborrecido os produtores podem sempre animar as coisas causando incêndios, inundações, erupções, o que for mais emocionante.
Enquanto em algumas regiões as crianças crescem a treinarem-se para os Jogos, desejosas de os vencer (1, 2 e 4 costumam ser favoritos), nas outras é realizado um sorteio obrigatório onde todos têm o seu nome pelo menos uma vez, mais se foram obrigados pela fome a pedir rações. O Distrito 12 é fustigado pela fome e pelas mortes nas minas pelo que não têm crianças saudáveis ou iludidas com boas probabilidades. Como não há voluntários o sorteio tem lugar e ironicamente vai calhar uma criança que tinha um único papel na tômbola da morte, Prim. A sua irmã Katniss está disposta a tudo para salvar a pequena Prim, mas como sabe que não tem hipóteses contra o exército e com as televisões nacionais focadas nela, toma a única saída possível oferecendo-se para ir no lugar da irmã, sacrificando a própria vida.
Katniss é uma caçadora furtiva e excelente arqueira, mas o que poderá fazer contra 23 jovens sedentos de sangue e treinados para matar com todas as armas? Para a vaga masculina sai o nome de Peeta, um dos filhos do padeiro. Katniss fica feliz porque se tiver de o matar não é ninguém cuja morte lhe possa pesar nos ombros. Para completar a equipa, o mentor da dupla será Haymitch, o único vencedor dos Jogos do Distrito 12 ainda vivo. Sem nenhuma preparação e com um treinador bêbedo, Katniss sabe que se condenou à morte, mas Prim fá-la prometer que dará o seu melhor e ela não vai dar parte de fraca perante as câmaras.

Interesse
Há mais de uma década era eu um jovem com tempo livre e gosto pela leitura. Entre os livros devorados diariamente (quando lia um livro por dia) destacava-se a colecção Argonauta que seguramente muitos de vocês conhecerão. Foi por ela que conheci os grandes mestres da FC e depressa surgiu um favorito que ainda hoje ocupa o número um nas minhas preferências literárias independentemente do género. O nome é já uma lenda e é Robert A. Heinlein. Pois entre os livros deste Senhor há dois que claramente destacaria. “Um Estranho Numa Terra Estranha” - a par com duas obras de Júlio Dinis e “O Principezinho” dos poucos livros que ainda leio regularmente - e “Um Túnel no Céu” que li vezes consecutivas até perder a conta. A história do Túnel é sobre um grupo de estudantes que como estágio de conclusão dos estudos tem de sobreviver num planeta inóspito e desconhecido. Acabam por criar tudo o que é necessário para viver. Alguns dirão que é do estilo de “A Ilha Misteriosa”, mas para mim é o livro que define a FC. Ora saber que aqui atiravam 24 crianças para um local desconhecido, com armadilhas mortais e monstros selvagens era demasiado parecido para não ficar logo colado.

A partir da cena em que Katniss toma o lugar da irmã soube que não iria largar o livro. Era quase meia-noite e foram precisas três horas e meia para o acabar. Quando terminei peguei no seguinte porque queria mais.

Narrativa
Enquanto viva, Katniss é a narradora. É pelos seus olhos que vemos a pobreza dos distritos, a exuberância da capital, o glamour dos Jogos, o sangue na Arena. É a sua opinião que nos é transmitida enquanto concorrente, são os seus pensamentos e movimentos que nos conduzem e as suas memórias que nos detêm. Quando ela mata sentimos o sangue nas mãos e o peso na consciência. Não há melhor forma de nos identificarmos com as personagens do que sendo uma.
O melhor elogio que se pode fazer a um livro é dizer que não o conseguimos ler suficientemente depressa. Sou um leitor muito rápido e mesmo assim ficava ansioso para ler o que ia acontecer a seguir porque nunca mais lá chegava. E não era “palha” que atrasava a chegada, eram pensamentos da personagem que aproveitavam a receptividade criada para entrar na minha mente e me fazer gostar dela apesar de todos os defeitos. Katniss não é uma pessoa perfeita, mas por estarmos no lugar dela e sabermos em que se baseou compreendemos as escolhas que faz.
O estilo da autora não é particularmente elaborado ou arrojado sendo acessível para o público-alvo e agradável para leitores exigentes. Por um lado torna acessível ideias bastante complexas e faz as críticas necessárias à sociedade, por outro expõe a mente de uma adolescente sem parecer falsa. Curioso como omite por completo as referências à religião dando a ideia que no espaço de um século terá desaparecido.

Hunger GamesTítulo: The Hunger Games/Os Jogos da Fome

Autor: Suzanne Collins
Data publicação original: 14-09-2008
Em Portugal: 20-10-2009
Género: Drama,Ficção-Científica
Preço: 15€
ISBN: 978-972-23-4239-1
Edição:
Tradução: Jaime Araújo

Sem comentários: