29 de agosto de 2011

"John Carpenter's The Ward" por Nuno Reis


Kristen: What is her story?
Emily: Oh, she’s just crazy. Like me. And you, and like all of us.

Qualquer filme de John Carpenter é motivo suficiente para levar multidões ao cinema. “Ghosts of Mars” foi uma desilusão para muitos e talvez por isso passou quase um década até sair novo trabalho do mestre em cinema. Pelo meio uma mera colaboração de dois episódios para a série “Masters of Horror”. Quando Sitges anunciou ter o novo filme de Carpenter os seguidores do festival ficaram entusiasmados. Mas teve uma passagem tão desilusória que nem depois da sessão falaram dele. As críticas desfavoráveis acumularam-se de tal forma que a estreia em sala tardou e em Portugal ainda se espera. No MotelX há uma oportunidade para o ver.
The Ward

Kristen é internada no hospital psiquiátrico após pegar fogo a uma casa. Não se lembra de nada. No hospital vai ocupar o quarto vagado por Tammy que na abertura vimos a ser atacada por algo. Na enfermaria onde a colocaram estão outras quatro raparigas. São todas objecto de um tratamento experimental. Iris é a mais sã do grupo. Utiliza o desenho como escape da realidade. Zoe é uma criança com especial medo do escuro. Sarah é apenas uma cabra e Emily é louca. Mas como ninguém é o que parece estas descrições são enganadoras.
O momento em que Kristen percebe a posição a tomar é quando todas começam a dançar numa noite de tempestade. Aí sente a essência do grupo. E logo no dia seguinte é atacada no duche por algo. Até que consegue um nome e vai investigar o que aconteceu com as antecessoras.
The Ward

Este argumento tem o inconveniente da previsibilidade. Ver um filme de Carpenter devia ser uma experiência única. O problema é que actualmente há muita gente a fazer terror. Já todos os temas foram feitos e muito bem feitos. O tema em The Ward” não é novo e Carpenter não o consegue apresentar de uma forma original. Os frequentes arrepios de situação não têm efeito e os grandes momentos de suspense são previsíveis. Carpenter também costuma ter um talento único para a banda sonora que desta vez foi composta por Mark Kilian (e faz um trabalho impecável). Portanto de diferente aproveita-se o genérico de abertura e as estreias em terror de tantas destas actrizes. A ver mais por curiosidade do que pela experiência de um Carpenter. Para isso teremos sempre os clássicos.

The WardTítulo Original: "The Ward" (EUA, 2010)
Realização: John Carpenter
Argumento: Michael Rasmussen, Shawn Rasmussen
Intérpretes: Amber Heard, Mamie Gummer, Lindsy Fonseca, Danielle Panabaker, Laura-Leigh, Jared Harris
Música: Mark Kilian
Fotografia: Yaron Orbach
Género: Horror, Thriller
Duração: 88 min.
Sítio Oficial: http://thewardmovie.com/

3 comentários:

Andreia Mandim disse...

Desanima-me ler mais uma vez que este novo filme de Carpenter não vai muito além...

cumprimentos,
cinemaschallenge.blogspot.com


(espreita a entrevista do balas, tens lá uma, menção x))

Nuno disse...

VI ontem de tarde:) Tiveste umas cinco visitas seguidas do mesmo IP porque divulguei pela empresa.

ArmPauloFer disse...

Concordo com a review totalmente. O suspense é pouco eficaz realmente, conduzindo o filme a algo até simplório.
Razoável e interessante mas sem ser nada de mais... 6/10