23 de fevereiro de 2015

Vencedores dos Oscares 2015

Como é isto que todos querem ler hoje agradeço as visitas, e por acaso até gostei das vitórias, aqui fica a lista dos nomeadso/vencedores dos Oscares.

Melhor filme

"American Sniper"
"Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)" (VENCEU)
"Boyhood"
"The Grand Budapest Hotel"
"The Imitation Game"
"Selma"
"The Theory of Everything"
"Whiplash"

Melhor Realizador

Alejandro G Iñárritu por “Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)” (VENCEU)
Richard Linklater por "Boyhood"
Bennett Miller por "Foxcatcher"
Wes Anderson por "The Grand Budapest Hotel"
Morten Tyldum por "The Imitation Game"

Melhor Actor

Steve Carell em “Foxcatcher”
Bradley Cooper em “American Sniper”
Benedict Cumberbatch em “The Imitation Game”
Michael Keaton em “Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)”
Eddie Redmayne em “The Theory of Everything” (VENCEU)

Melhor Actriz

Marion Cotillard em “Two Days, One Night”
Felicity Jones em “The Theory of Everything”
Julianne Moore em “Still Alice” (VENCEU)
Rosamund Pike em “Gone Girl”
Reese Witherspoon em “Wild”

Melhor Actor Secundário

Robert Duvall em “The Judge”
Ethan Hawke em “Boyhood”
Edward Norton em “Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)”
Mark Ruffalo em “Foxcatcher”
JK Simmons em “Whiplash” (VENCEU)

Melhor Actriz Secundária

Patricia Arquette em “Boyhood” (VENCEU)
Laura Dern em “Wild”
Keira Knightley em “The Imitation Game”
Emma Stone em “Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)”
Meryl Streep em “Into the Woods”

Melhor Argumento Original

“Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)” (VENCEU)
“Boyhood”
“Foxcatcher”
“The Grand Budapest Hotel”
“Nightcrawler”

Melhor Argumento Adaptado

-“American Sniper”
“The Imitation Game” (VENCEU)
“Inherent Vice”
“The Theory of Everything”
“Whiplash”

Melhor Filme em Língua Estrangeira

“Ida” (VENCEU)
“Leviathan”
“Tangerines”
“Timbuktu”
“Wild Tales”

Melhor Filme de Animação

“Big Hero 6” (VENCEU)
“The Boxtrolls”
“How to Train Your Dragon 2”
“Song of the Sea”
“The Tale of the Princess Kaguya”

Melhor Design de Produção

“The Grand Budapest Hotel” (VENCEU)
“The Imitation Game”
“Interstellar”
“Into the Woods”
“Mr Turner”

Melhor Cinematografia

“Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)” Emmanuel Lubezki (VENCEU)
“The Grand Budapest Hotel” Robert Yeoman
“Ida” Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski
“Mr Turner” Dick Pope
“Unbroken” Roger Deakins

Melhor Guarda-roupa

“The Grand Budapest Hotel” Milena Canonero (VENCEU)
“Inherent Vice” Mark Bridges
“Into the Woods” Colleen Atwood
“Maleficent” Anna B Sheppard e Jane Clive
“Mr Turner” Jacqueline Durran

Melhor Montagem

“American Sniper”
“Boyhood”
“The Grand Budapest Hotel”
“The Imitation Game”
“Whiplash” (VENCEU)

Melhor Documentário

“CitizenFour” (VENCEU)
“Finding Vivian Maier”
“Last Days in Vietnam”
“The Salt of the Earth”
“Virunga”

Melhor Banda Sonora

“The Grand Budapest Hotel” Alexandre Desplat (VENCEU)
“The Imitation Game” Alexandre Desplat
“Interstellar” Hans Zimmer
“Mr Turner” Gary Yershon
“The Theory of Everything” Jóhann Jóhannsson

Melhor Canção Original

“Everything Is Awesome” em “The Lego Movie”
“Glory” em “Selma” (VENCEU)
“Grateful” em “Beyond the Lights”
“I’m Not Gonna Miss You” em “Glen Campbell…I’ll Be Me”
“Lost Stars” em “Begin Again”

Melhor Mistura de Som

“American Sniper”
“Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)”
“Interstellar”
“Unbroken”
“Whiplash” (VENCEU)

Melhor Edição de Som

“American Sniper” (VENCEU)
“Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)”
“The Hobbit: The Battle of the Five Armies”
“Interstellar”
“Unbroken”

Melhores Efeitos Especiais

“Captain America: The Winter Soldier”
“Dawn of the Planet of the Apes”
“Guardians of the Galaxy”
“Interstellar” (VENCEU)
“X-Men: Days of Future Past"

Melhor Curta-Metragem Documental

“Crisis Hotline: Veterans Press 1” (VENCEU)
“Joanna”
“Our Curse”
“The Reaper (La Parka)”
“White Earth”

Melhor Curta-Metragem de Animação

“The Bigger Picture”
“The Dam Keeper”
“Feast” (VENCEU)
“Me and My Moulton”
“A Single Life”

Melhor Curta-Metragem

“Aya”
“Boogaloo and Graham”
“Butter Lamp (La Lampe Au Beurre De Yak)”
“Parvaneh”
“The Phone Call” (VENCEU)

Melhor Caracterização

“Foxcatcher”
“The Grand Budapest Hotel” (VENCEU)
“Guardians of the Galaxy”

22 de fevereiro de 2015

Fama ou dinheiro?

A propósito deste artigo fui espreitar quanto facturaram os filmes nomeados para Melhor Filme. Estes são os dados das bilheteiras americanas.

Seis dos nomeados estão no top 100. "Boyhood" vem logo depois no 101º, a 22000 dólares do top, e "Whiplash" só está em 127º, a precisar de 14 milhões.



Olhando para esta imagem, preferiam a fama do Oscar ou o dinheiro dos outros?


PosiçãoFilmeBilheteira EUA
1The Hunger Games: Mockingjay - Part 1336408000
2Guardians of the Galaxy333176600
3American Sniper319607000NOMEADO
4Captain America: The Winter Soldier259766572
5The LEGO Movie257760692
6The Hobbit: The Battle of the Five Armies253763236
7Transformers: Age of Extinction245439076
8Maleficent241410378
9X-Men: Days of Future Past233921534
10Big Hero 6220225000
11Dawn of the Planet of the Apes208545589
12The Amazing Spider-Man 2202853933
13Godzilla (2014)200676069
1422 Jump Street191719337
15Teenage Mutant Ninja Turtles (2014)191204754
16Interstellar187566000
17How to Train Your Dragon 2177002924
18Gone Girl167762331
19Divergent150947895
20Neighbors150157400
21Ride Along134938200
22Rio 2131538435
23Into the Woods126670000
24Lucy126663600
25The Fault in our Stars124872350
26Unbroken115317000
27Night at the Museum: Secret of the Tomb111581000
28Mr. Peabody & Sherman111506430
29300: Rise of An Empire106580051
30The Maze Runner102427862
31The Equalizer101530738
32Noah101200044
33Edge of Tomorrow100206256
34Non-Stop92168600
35Heaven is for Real91443253
36Dumb and Dumber To86208010
37Fury (2014)85817906
38Annie (2014)85412865
39Tammy84525432
40Annabelle84273813
41The Imitation Game83921000NOMEADO
42The Other Woman (2014)83911193
43Penguins of Madagascar82508569
44Let's Be Cops82390774
45The Monuments Men78031620
46Hercules (2014)72688614
47The Purge: Anarchy71962800
48Alexander and the Terrible, Horrible, No Good, Very Bad Day66937838
49Think Like a Man Too65182182
50Exodus: Gods and Kings64988138
51The Nut Job64251541
52God's Not Dead60755732
53Son of God59700064
54Planes: Fire & Rescue59165787
55The Grand Budapest Hotel59100318NOMEADO
56RoboCop (2014)58607007
57Dracula Untold56280355
58Horrible Bosses 254445357
59The Hundred-Foot Journey54240821
60No Good Deed (2014)52543632
61Muppets Most Wanted51183113
62Ouija50856010
63The Boxtrolls50837305
64Jack Ryan: Shadow Recruit50577412
65If I Stay50474843
66The Book of Life (2014)50147429
67Selma49598000NOMEADO
68About Last Night (2014)48637684
69Into The Storm47602194
70The Judge47119388
71Jersey Boys47047013
72Blended46294610
73The Giver45090374
74St. Vincent44094813
75Need for Speed43577636
76A Million Ways to Die in the West43139300
77John Wick43037835
78Dolphin Tale 242024533
79The Expendables 339322544
80Earth to Echo38934842
81Sex Tape38543473
82Birdman37733000NOMEADO
83Wild (2014)37255000
84Million Dollar Arm36457627
85This is Where I Leave You34296320
86The Theory of Everything34145000NOMEADO
87The Gambler33680992
88Paranormal Activity: The Marked Ones32462372
89Nightcrawler32381217
90Chef31424003
91Get On Up30703100
923 Days to Kill30697999
93Deliver Us From Evil30577122
94When the Game Stands Tall30127963
95Draft Day28842237
96Oculus27695246
97The Best of Me26766213
98A Walk Among the Tombstones26307600
99That Awkward Moment26068955
100Top Five25317291
101Boyhood25295600NOMEADO
127Whiplash11330000NOMEADO

24 de janeiro de 2015

"Grace of Monaco" por Nuno Reis

Nenhum filme conseguiria conter uma mulher do tamanho do mundo


I would like to be remembered as someone who accomplished useful deeds, and who was a kind and loving person. I would like to leave the memory of a human being with a correct attitude and who did her best to help others.

Era uma vez uma menina chamada Grace. Por influência do tio descobriu os palcos e tornou-se actriz. Pela mão de Hitchcock tornou-se uma lenda. Pelo mão de Rainier tornou-se princesa. Sozinha, tornou-se divina. Não pensemos na realidade dos livros de História, ou nos mitos lançados pela imprensa cor-de-rosa, e olhemos para o conto de fadas que nos é trazido por Olivier Dahan. Estamos perante uma obra feita para marcar o legado da Princesa que a mostra como uma mulher com dúvidas e sujeta a imensa pressão, mas que, com a sua dedicação e os conselheiros certos, será capaz de enfrentar um exército desarmada. Uma farsa clara e assumida que merece o benefício da dúvida.

Como ela muito bem descreve a determinado momento do filme, “guerra é quando duas pessoas deixam de falar e começam a puxar o nariz uma à outra”. França estava em pé de guerra, com a Argélia como epicentro dos problemas. O espírito rebelde de Maio’58 continuava bem vivo e a fuga de impostos para o Mónaco parecia uma ofensa pelo que o governo do presidente e herói gaulês Charles De Gaulle exigiu ao Mónaco que cobrasse impostos pela França. O Príncipe Rainier recusou e a França com meio milhão de quilómetros quadrados ameaçou ocupar o principado de dois. Grace ainda não estava integrada com o seu novo posto e estava a considerar voltar a trabalhar com o realizador inglês quando teve uma chamada de atenção da realidade. O seu novo país estava cercado e se saísse por umas semanas para ser actriz, provavelmente não teria para onde voltar. Por isso, decide preparar-se para o papel mas importante da sua vida e garantir que a queda da independência monegasca não seja no seu tempo de vida. Também George VI esteve numa situação semelhante e teve direito a filme.
Quando Nicole Kidman estava em rodagem, falava-se das semelhanças com o papel que a amiga Naomi Watts tinha conseguido de Princesa Diana. Duas mulheres que saíram da sua zona de conforto para estarem sob escrutínio constante e desviaram o foco dos holofotes de si para os problemas reais das suas épocas. No caso de Grace (reparem que se não uso o apelido, não é por desrespeito, é porque as maiores estrelas não precisam de dois nomes para serem identificadas) o trabalho com os holofotes foi facilitado. Já estava há anos a ser cortejada pela imprensa americana e sabia lidar com fotógrafos e demais buscadores de glamour. Era só uma questão de se tornar uma princesa francófona e monegasca, num processo muito parecido com o de Eliza Doolittle. [Fazendo uma pequena pausa a propósito dessa icónica personagem de “My Fair Lady” (peça que estava em exibição nos palcos da Broadway há vários quando a actriz se tornou princesa), este filme faz lembrar em muito “The Audrey Hepburn Story”: usa o lado humano de uma enorme actriz para nos fazer apaixonar por ela.] Misturando a situação política do protectorado, a relação com o seu príncipe, e a relação com a população, “Grace of Monaco” acaba por depender por completo de Nicole Kidman. As cenas em que não aparece contam-se pelos dedos de uma mão. As em que entra são dominadas por ela. Podia perfeitamente ter feito o filme num gigantesco monólogo de tão vital que é para a narrativa. Por isso era importante a escolha da actriz e apesar de não ser a escolha mais óbvia, acabou por se revelar a mais acertada. Desde o primeiro plano onde está visivelmente cansada, até à gigantesca operação de charme americano lançada contra os franceses, passando por processos de alegria familiar, transformação e traição, é constantemente uma actriz a conter todo o seu potencial. Sabemos que Nicole podia dar mais de si, mas sabemos que Grace estava numa representação mais longa do que qualquer série. Tinha escolhido um papel sem espaço para ensaios ou para descansos. Seria uma princesa sempre e para sempre. Por isso não estaria a princesa na verdade a fazer uma dupla representação, tentando criar uma segunda máscara enquanto ainda envergava a primeira?
Por comparação com a protagonista, todos saem mal na figura com excepção de Frank Langella, tanto actores como pessoas reais. O filme é sobre uma actriz e para uma actriz, ninguém mais podia ser visto, ninguém mais podia ficar com os louros da vitória naquela fria guerra.
Principalmente por isso o filme desilude. Sabemos que a história dela tinha muito mais. Falam da excelente relação com a Cruz Vermelha e com o povo, mas omitem que as mulheres ganharam o direito de voto precisamente nesse período do cerco. Grace do Mónaco foi muito mais do que uma princesa. Se o antes faz parte da lenda de Hollywood, o durante podia ter sido muito melhor explorado. O outro ponto terrível do filme é o final. Já tinha passado de forma aprazível pelos olhos. Tinha fechado como chave de ouro com um monólogo fenomenal que faria qualquer amante do cinema colocar-se perante os tanques franceses para defender esta figura divina. E estraga-se tentando dar um toque artístico na altura em que bastava manter a classe, lançando no ar um desejo de revolta. Até ao fim acreditei que podia gostar do filme, e se terminasse a longa mediania com algo magnífico seria o suficiente. Mas tentar melhorar hora e meia da princesa americana que conquistou a Europa com planos desnecessários, só serve para desvanecer o efeito.
Grace of MonacoTítulo Original: "Grace of Monaco" (Bélgica, EUA, França, Itália, Suíça, 2014)
Realização: Olivier Dahan
Argumento: Arash Amel
Intérpretes: Nicole Kidman, Tim Roth, Frank Langella, Parker Posey, Milo Ventimiglia, Paz Vega
Música: Christopher Gunning
Fotografia: Eric Gautier
Género: Biografia, Drama, Romance
Duração: 103 min.
Sítio Oficial: https://www.warnerbros.co.uk/en/movies/grace-of-monaco

11 de janeiro de 2015

Vencedores dos TCN Blog Awards 2014

Mais um ano que passou, mais uma cerimónia dos TCN para a história. Com um número recorde de espectadores (como a entrada era paga antecipadamente, quem reservou foi e teve sala cheia), de prémios (14!) e um número muito baixo de convidados externos, foi uma festa dos bloggers.
Desde os almoços de convívio anteriores até aos jantares after party, deu para conviver com alguns daqueles bloggers/amigos com quem falamos a toda a hora mas que vemos poucas vezes ao ano. Ficou no ar (mais uma vez) a intenção de fazer mais vezes e em mais sítios para reforçar estes laços. Só assim teremos uma blogosfera mais unida e mais forte.


Página de Facebook
Última Sessão

Rubrica
Posters Caseiros, do blogue Brain-Mixer

Iniciativa
Já Vi(vi) este Filme

Reportagem/Cobertura
LEFF 2013 @ Rick's Cinema

Entrevista
Entrevista a António-Pedro Vasconcelos, por Rui Alves de Sousa, do blogue Espalha-Factos

Crítica de Cinema
A Vida de Adèle: Capítulos 1 e 2, por Catarina D'Oliveira, do blogue Close-Up

Crítica de Televisão
Band of Brothers, por Hugo Barcelos, do blogue Rick's Cinema

Artigo de Cinema
E o Netflix português?, por Pedro, do blogue CinemaXunga

Artigo de Televisão
Um Artigo Com Bolinha Vermelha: Uma História da Nudez e Sexualidade na Televisão, por Diogo Cardoso, do blogue TVDependente

Novo Blogue
Milímetro a Milímetro

Blogue Colectivo
TVDependente

Blogue Individual
Hoje Vi(vi) um Filme

Blogger do Ano
Rui Alves de Sousa

Prémio Memória
Francisco Mendes, do blogue Pasmos Filtrados

Parabéns a todos os vencedores e em especial aos nomeados.