17 de Abril de 2014

Toda a British Pathé ao alcance de todos

Porque uma imagem vale mais de 1000 palavras não escreverei muito. Vejam apenas a imagem abaixo.
85000 vídeos no Youtube

Do que estão à espera? É aqui.

15 de Abril de 2014

"Pecado Fatal" devolve cinemas a Ovar

A cidade de Ovar volta a ter cinema a partir do dia 24 de Abril. O Dolce Vita Ovar passa a contar com um espaço destinado à exibição diária de filmes, reforçando a oferta cultural e de lazer do concelho.

O regresso do cinema ao Centro Comercial resulta da parceria estabelecida entre o Dolce Vita Ovar, a Câmara Municipal de Ovar e a Filmógrafo, produtora, distribuidora e exibidora que será responsável pela exploração do espaço.

Após ter acolhido no início do ano um ciclo de cinema de homenagem póstuma ao cineasta Paulo Rocha, natural de Ovar, o Dolce Espaço passa a contar com uma programação semanal, com sessões diárias, que serão reforçadas ao fim-de-semana.

O espaço encontra-se equipado com tecnologia para exibição digital e vai apresentar aos visitantes as mais recentes obras em estreia nacional. Para além de oferecer sessões a um preço competitivo, a sala vai receber também momentos especiais, com a presença de realizadores e actores, que constituirão uma oportunidade para o público interagir com os protagonistas dos filmes em cartaz.

No dia 24 de Abril iniciam-se as sessões com a exibição de "Pecado Fatal", em estreia nacional. O filme, da autoria de Luís Diogo, tem como protagonistas Sara Barros Leitão, Miguel Meira e João Guimarães e acaba de ser distinguido com o “2014 Award of Excellence Winner” do Canada International Film Festival.

13 de Abril de 2014

"La vie d'Adèle - Chapitres 1 et 2" por Nuno Reis

Vencedor indiscutível da Palma de Ouro e aclamado um pouco por todo o mundo, bem antes da estreia já "La Vie d’Adèle - Chapitres 1 et 2" estava envolto em polémica. Se nos esquecermos disso e nos concentrarmos apenas no filme, estamos perante uma obra fundamental do cinema contemporâneo. Para começar por ser a primeira adaptação de novela gráfica a ganhar Cannes revelando novas possibilidades para o cinema de autor com base num género literário que se julgava mainstream. Também por ser um filme sobre homossexualidade que agradou a todo o público (há algo que duas meninas bonitas não consigam?). Mas especialmente, porque é um brutal reflexo da vida.
Comecemos pela dualidade do título. Enquanto uns lhe chamam "Blue is the Warmest Colour", directamente do livro "Le Bleu est une Couleur Chaude", os outros chamam "La Vie d’Adèle". Só que nada no livro refere Adèle, de onde terá vindo esse nome? É que Kechiche em muitas das cenas do dia a dia de Clémentine, utilizava imagens de bastidores da protagonista, Adèle Exarchopoulos. Para aproveitar os diálogos, nada mais simples do que mudar o nome da personagem. Ou, se quisermos ser honestos, apagar a personagem e dar todo o protagonismo à actriz. Colocar o filme completamente nos ombros de uma jovem de dezanove anos com meia dúzia de filmes no currículo. Torná-la na Clémentine do livro , dizendo que podia continuar a ser a Adèle de todos os dias. Funcionou. A história original de "La Vie d’Adèle" pode cair no esquecimento, mas o facto de ter uma história simples e humana sobre o crescimento e a sociedade tornou-o parte permanente das memórias cinematográficas de quem o viu.

Adèle é uma jovem adolescente em busca de um rumo e de orientação. O contacto com uma mulher mais velha num bar onde não devia estar, vai-lhe abrir os olhos para um mundo que desconhecia. Fascinada pela irreverência de Emma - aquele anjo com o cabelo tingido de azul - e pelo mundo adulto, numa altura em que a escola e a infantilidade dos colegas cada vez se distanciavam mais do que queria ser, deixa-se levar pela curiosidade e parte à descoberta. Guiada por Emma, lentamente vai-se tornando mulher, mantendo muita da sua encantadora inocência.

Este retrato da juventude francesa tem imensos pontos a seu favor. O primeiro é a naturalidade das situações. Não só pelo desempenho magistral de Exarchopoulos, mas também pelas pequenas coisas como a música angófona que a juventude francesa ouve constantemente e nem se dá conta; as manifestações, sinal dos nossos tempos e do descontentamento da nossa juventude; o cada vez maior distanciamento geracional e como isso afecta os indivíduos... Poderia continuar a enumerar, mas de forma sucinta é a honestidade de tudo o que nos conta. É uma história de vida, de como a chama do amor se acende e se apaga, e de todos os momentos pelo meio em que arde fulgurosa.

A Adèle personagem teve um início de vida inesquecível e no fim daquela dolorosa estrada conseguiu encontrar a sua identidade. A Adèle actriz atingiu o estrelato com naturalidade, e esperemos que por lá se mantenha. Será quase impossível dissociar da personagem, mas o carinho que lhe tem sido demonstrado prenuncia uma magífica carreira.
La vie d'Adèle - Chapitres 1 et 2Título Original: "La vie d'Adèle - Chapitres 1 et 2" (França, Bélgica, Espanha, 2013)
Realização: Abdellatif Kechiche
Argumento: Abdellatif Kechiche, Ghalia Lacroix (baseado no livro de Julie Maroh)
Intérpretes: Adèle Exarchopoulos, Léa Seydoux
Fotografia: Sofian El Fani
Género: Drama, Romance
Duração: 179 min.
Sítio Oficial: http://www.ifcfilms.com/films/blue-is-the-warmest-color

9 de Abril de 2014

Festa do Cinema Italiano começa amanhã

O 8½ Festa do Cinema Italiano anunciou uma sessão especial: a exibição, em 3D, do filme "O Último Imperador", de Bernardo Bertolucci, que inaugura, assim, as sessões em 3 dimensões do Cinema São Jorge e terá lugar no último dia do festival, 18 de Abril, às 15h30.

Trata-se de versão restaurada em 3D, feita a partir da versão original, de 1987, cujo restauro foi acompanhado por Bernardo Bertolucci e Vittorio Storaro e estreou na última edição do Festival de Cannes. "O Último Imperador" foi vencedor de nove Oscares (filme, realizador, argumento, fotografia, montagem, música, cenografia, guarda-roupa e som) e conta a história verídica de Pu Yi (1906-1960), que nasceu imperador e morreu como cidadão comum da República Popular da China.

Os bilhetes do 8 ½ Festa do Cinema Italiano já se encontram à venda no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinemateca e na Ticketline. Os bilhetes para o Cine-Jantar, onde será exibido o filme "O Último Tango em Paris", de Bernardo Bertolucci e terá lugar nos dias 11 (sexta-feira) e 13 de Abril (domingo), às 19h30 no Mercado de Santa Clara, já estão, igualmente, à venda no Mercado de Santa Clara e a partir de dia 10 de Abril, no Welcome Desk do Cinema São Jorge.

As sessões do 8 ½ Festa do Cinema Italiano já tiveram início nas lojas Fnac de todo o país, onde são exibidos diversos filmes, nomeadamente os que estão incluídos no pack de DVDs do festival à venda na Fnac (com oferta de voucher para o festival): "Benfica-Torino 4-3", de Andrea Ragusa e Nuno Figueiredo, "Shun-Li e o Poeta", de Andrea Segre, "Piazza Fontana - Uma Conspiração Italiana", de Marco Tullio Giordana e "Scialla! (Tá-se)", de Francesco Bruni. O calendário completo das sessões pode ser consultado em www.culturafnac.pt/calendario.

O programa completo e actualizado do festival está disponível em www.festadocinemaitaliano.com e em http://issuu.com/ottoemezzofci/docs/programacao_fci.

O 8 ½ Festa do Cinema Italiano realiza-se de 10 a 18 de Abril, no Cinema São Jorge e na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, seguindo-se: Coimbra, de 21 a 23 de Abril, no Teatro Académico Gil Vicente; Porto, de 24 a 27 de Abril, na Casa das Artes; Funchal, de 8 a 11 de Maio, no Teatro Municipal Baltazar Dias e Loulé, de 16 a 18 de Maio, no Cine-Teatro Louletano. A Festa do Cinema Italiano segue depois viagem para outros países lusófonos em datas e locais a anunciar em breve.

8 ½ Festa do Cinema Italiano é um festival de cinema organizado pela Associação Il Sorpasso, que conta o patrocínio principal da TopAtlântico, com o apoio da Embaixada de Itália e do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, é uma parceria estratégica CML/EGEAC e uma co-produção com o Cinema São Jorge.

CineBrick com novas regras

Depois do sucesso do filme "LEGO", não surpreende que o festival de filmes com peças LEGO esteja a preparar uma segunda edição. Aqui fica o regulamento como pode ser visto no site oficial.

1. Objectivo
O Cine Brick cria a competição Short Bricks com o objectivo de estimular a produção e exibição de curtas-metragens de animação feitas com peças LEGO®.

2. Competição de curtas
O Cine Brick, a partir da edição 2014, incluirá no seu programa uma competição de curtas metragens. Esta competição acontecerá em todos os locais do Mundo onde se realize o Cine Brick.

3. Origem dos filmes
Serão admitidos a concurso filmes originários de qualquer parte do Mundo.

4. Duração dos filmes
Serão admitidos a concurso filmes com duração total inferior ou igual a 30 minutos.

5. Ano de produção dos filmes
Serão aceites a concurso filmes produzidos no ano da competição ou num dos dois anos anteriores. Para a competição de 2014 serão admitidos filmes produzidos em 2012, 2013 ou 2014.

6. Diálogos
Com o objectivo de facilitar a difusão dos filmes por todos os continentes, sendo vistos e compreendidos por pessoas de todo o mundo, o Short Bricks privilegiará filmes sem diálogos. No entanto, serão também considerados a concurso os filmes com diálogos.

7. Datas e custos de submissão
Para a edição 2014 serão aceites a concurso os filmes submetidos entre 1 de Janeiro e 30 de Abril de 2014. A inscrição é gratuita.

8. Formas de submissão e moradas
Os filmes deverão ser enviados preferencialmente em formato DVD, para a seguinte morada: Avenida das Congostas 356 4º A, 4250-159 Porto, Portugal. Em alternativa poderão ser enviados em ficheiro, de qualidade equivalente a DVD, ou superior, para o seguinte endereço de e-mail: cinebrickfestival@gmail.com.

9. Autorização de exibição e informação adicional
Os filmes deverão ser acompanhados de autorização escrita de exibição no festival, bem como de uma breve apresentação da história do filme e da equipa envolvida na produção. Deverá também ser enviada uma foto de alta resolução do filme, bem como outros materiais de promoção se existirem.

10. Propriedade intelectual
Ao submeter o filme à competição Short Bricks, o produtor do filme declara que detém os direitos de apresentação pública da obra, bem como da música nesta incluída. Se solicitado, o produtor ou realizador deverão apresentar prova relativamente a estes direitos, assumindo total responsabilidade no caso de litígio.

11. Programa oficial
As curtas metragens submetidas a competição, e selecionadas pela organização, ficarão automaticamente incluídas no programa oficial do festival.

12. Número máximo de filmes por realizador
Cada realizador pode submeter a competição um máximo de 3 filmes em cada edição do festival.

13. Selecção
A organização do Cine Brick decidirá, e comunicará publicamente, com uma antecedência de pelo menos 2 semanas face ao início do festival, quais os filmes selecionados para exibição e competição.

14. Decisão
O júri, a designar entre pessoas ligadas ao Cinema, ao Lego, ou ao meio artístico em geral, decide, por maioria, e após exibição de todos os filmes no festival, o vencedor do evento. A organização do festival poderá atribuir ao público um dos votos. Para além do primeiro prémio, poderão ser atribuídas menções honrosas.

15. Vencedores em cada etapa
Em cada etapa do Cine Brick será designado um vencedor do Short Bricks, sendo que no final de todas as etapas, e por decisão colectiva dos júris de cada etapa, será encontrado um vencedor global.

16. Extensões e parcerias
O Cine Brick reserva o direito de exibir todos os filmes seleccionados para a competição em extensões do festival ou em festivais com os quais seja celebrado acordo de parceria.

17. Promoção e divulgação
O Cine Brick reserva o direito de utilizar imagens e excertos dos filmes, assim como textos relativos aos filmes, para fins de promoção e divulgação.

18. Casos omissos
Os casos omissos serão resolvidos pela organização do festival, e não existirá possibilidade de recurso.

19. Aceitação das condições
A participação na competição Short Bricks implica a aceitação destas condições.

20. Prémio para o Primeiro Classificado