2 de julho de 2011

"Nuovo Cinema Paradiso" por Nuno Reis


Há um filme sobre cinema que toda a gente já ouviu falar. No título combina os sinónimos cinema e paraíso. Falo claro de “Nuovo Cinema Paradiso”, a maior entre as grandes obras de Tornatore. Se vocês amarem Cinema este é o filme que vos vai deixar com lágrimas nos olhos.
Nuovo Cinema Paradiso

Salvatore Di Vita chega a casa quando já é noite. A mulher com quem se deita tem um recado da mãe dele: Alfredo morreu. Salvatore finge não ser nada de especial, mas essa noite ele volta a ser Totò, um menino que como tantos outros tinha ficado seduzido pela magia do cinema. Só que o caso de Totò é bem mais grave. Ele gastava o dinheiro para as compras em bilhetes de cinema e passava os dias enfiado na sala de visionamento ou mesmo na de projecção. A mãe conseguiu proibir o projeccionista de o receber, mas Totò arranjou forma de o levar a quebrar a promessa. Com Afredo aprende a projectar um filme e ganha o direito de os ver inteiros, antes de o padre da aldeia fazer a censura. Até que um incêndio deflagra no Cinema Paradiso com o seu projeccionista lá dentro. Totò torna-se então na única esperança de uma aldeia que também não sabia viver sem o cinema.
Nuovo Cinema Paradiso

Esta é a história de uma pessoa que ama cinema, cresce a ver cinema e vive para o cinema. Pelos seus olhos vemos a parte mais ingrata, aqueles heróis que nos bastidores levam a magia a todos. Hoje em dia ser projeccionista é fácil e brevemente será uma profissão extinta, mas então eram a peça fundamental menos reconhecida. Eles têm aqui um documentário sobre a sua verdadeira missão. Aqueles pequenos detalhes de manipulação da fita, os truques de cada projector, a forma gentil como é preciso tratar e respeitar cada bobine. O Cinema é algo enorme, mas continua a ser uma sucessão de frames que no final passarão pelas mãos de um homem.
Nuovo Cinema Paradiso

Ao ver este filme cada um recordará aquela(s) vez(es) em que a projecção não estava enquadrada. E quando a fita passou invertida. E quando entraram sorrateiramente com a cumplicidade de um funcionário para ver um filme doutro escalão etário. E quando a sessão atrasou porque o filme não tinha chegado. E provavelmente aquele “vosso Alfredo”, que os guiou numa odisseia de deslumbramento por entre centenas de títulos, explicando o significado de cada um deles e apresentando as estrelas que desfilavam na tela.
A cena em que o cinema é projectado para a Praça, como se faz em Locarno, é dos momentos mais belos que o cinema nos proporcionou. Porque o Cinema tem de ser um negócio, mas por vezes também sabe bem oferecê-lo apenas para convívio e entretenimento e é isso que torna as imagens em movimento na coisa mais bonita.
Nuovo Cinema Paradiso

Mais do que um mero filme, isto é o agradecimento de um artista aos projeccionistas, aos cinemas itinerantes, aos programadores de cineclubes, de ciclos ou de festivais. Todos os anónimos que nos trouxeram cinema de um local distante quando éramos miúdos pequenos sedentos de aventura. Podem nunca vir a receber um Oscar, mas para milhares de pessoas que provavelmente nem vos conhecem, vocês são os responsáveis por terem visto e começado a amar o Cinema. Obrigado.

Nuovo Cinema ParadisoTítulo Original: "Nuovo Cinema Paradiso" (França, Itália, 1988)
Realização: Giuseppe Tornatore
Argumento: Giuseppe Tornatore (com a colaboração de Vanna Paoli)
Intérpretes: Philippe Noiret, Salvatore Cascio, Marco Leonardi, Jacques Perrin
Música: Ennio Morricone
Fotografia: Blasco Giurato
Género: Comédia, Drama, Romance
Duração: 155 min.

2 comentários:

Sandro Branco disse...

Um filme sem duvida, 5 Estrelas! :)

Nuno disse...

Este mês o número de filmes com cinco estrelas vai ser bem grande. Um filme que fale de cinema suficientemente bom para que eu escreva sobre ele, dificilmente será mau.