5 de janeiro de 2010

Pirataria em Portugal


Terminou ontem o prazo para votarem na sondagem sobre motivos para obter um filme por meios ilícitos.
Apenas 42 leitores participaram na controversa votação, mas os motivos por eles apresentados não surpreendem.



Quase metade das pessoas queixam-se do preço. Um DVD para venda a 20€ ou 30€ sem extras é um preço ridículo, mas também o é cobrar 5€ por bilhete e outros 5€ pelas pipocas e bebidas que forçam as pessoas a comprar à entrada ou intervalo. Evito ao máximo as salas com intervalo, mas vou ter de experimentar. Ouvi dizer que minutos antes do intervalo a temperatura aumenta. Será coincidência?

Para o segundo lugar havia 3 motivos com quase o mesmo número de votos. "O filme ser tão mau que não vale o dinheiro" tem um pequeno destaque com 14 votos. Não se pode saber se é bom ou mau antes de ver, mas dá para fazer uma ideia razoável do que nos espera quando se vai a uma sequela dos Transformers. Nesses casos apenas os efeitos especiais justificam uma ida ao cinema, e como o filme não tem nada mais do que isso... lá vai mais uma ida ao cinema.

Com 12 votos está "não sair em Portugal", logo seguido pelos 11 de "demora demasiado a estrear cá". Se é verdade que tanto estreia no mesmo dia por todo o mundo, como apenas dois anos depois, alguém com conhecimento de mercado espera que não se tenha encomendado pela Amazon? Se falarmos dos directo para DVD como "Once", "Jennifer's Body", "Dragonball Evolution", "Amelia" e "500 Days of Summer" é perfeitamente compreensível que muitos cinéfilos melhor informados vejam o filme e o vão passando aos amigos. Como a publicidade para mercado caseiro é quase nula - especialmente se não saiu em cinema - a curiosidade/qualidade do filme basta para que se espalhe pelos lares antes de os DVDs estarem sequer embalados.

Existem ainda algumas desculpas como não estar num cinema próximo, ou não ficar tempo suficiente em exibição - muito frequente nas produções de menor projecção, relegadas para segundo plano - mas o fundamental é resolver os problemas que se aplicam à maioria: acompanhar as novidades e não cartelizar os preços. O cinema deve ser um convívio frequente entre amigos, não um evento anual como é a média nacional.




Brevemente, mais uma sondagem Antestreia.

5 comentários:

Anónimo disse...

Achei o inquérito bastante interessante no entanto pergunto qual a audiência a que se destina a notícia publicada. Expressões como "ouvi dizer", "alguém com dois dedos de testa" e "desculpas foleiras" entre outros não me parecem ser comentários comuns no jornalismo para não dizer mesmo pouco profissionais. Ainda assim continuem com o bom trabalho.

Nuno disse...

O "ouvi dizer" é porque ainda não comprovei a situação. Como disse, evito esses cinemas.

A expressão não foi muito feliz, mas a situação revolta-me. Quando alguém tem como emprego maximizar os lucros de um filme no mercado nacional e sabe que estamos num mercado global, não pode pensar que adiando um ano o lançamento tenha as mesmas receitas. Os filmes passado 3 meses estão à venda.
Também acontece em cinema. Lembro-me que em 2004 adiaram o Harry Potter, por causa do Euro2004, e os portugueses foram ver a Espanha. Em 2009 com o "District 9" tive vontade de fazer o mesmo e a diferença era de apenas 3 semanas.

Sou contra a pirataria e não sei como poupar 50km para ver um filme pode ser justificação. Para compensar a viagem vê-se mais filmes nessa noite, reúne-se um grupo grande e divide-se a despesa, com boa vontade tudo ajuda a amenizar.
Quando o filme estreia apenas em Lisboa (como "O'Horten") é compreensível, mas duvido que fosse esse o caso que 10% das pessoas lamentavam.

Repito que a participação foi muito reduzida. Serve como curiosidade, mas não tem rigor estatístico e portanto também o texto foi mais informal.

Agradeço o reparo. Suavizei os termos e para a semana terei mais cuidado na linguagem utilizada para a avaliação dos resultados.

Obrigado pela crítica construtiva.

naovouporai disse...

Eu tenho notado cada vez mais o atraso nas estreias em Portugal. Algumas de 1 e 2 anos de atraso. Muito mau... :/

Inclusivé filmes que vimos no Fantas aparecem apenas vários meses depois nos cinemas.

Nuno disse...

Esta semana deve ter sido batido algum recorde. "Bombon El Perro" que é de 2004, estreou entre 2005 e 2007 pelo mundo. Aqui, 2010.

naovouporai disse...

medo... o_0

os gajos que controlam isso andam doudos, absolutamente loucos!