29 de agosto de 2010

"How To Train Your Dragon" por Nuno Reis


Antes que "Toy Story 3" da Pixar derrube todos os recordes da animação para 2010 - algo que acontecerá esta semana quando acompanhado de "Inception" ultrapassar o actual número um do género numa luta pelo sexto lugar da geral - recordemos que o primeiro grande título animado veio da Dreamworks. "How To Train Your Dragon" começou em grande desde a antestreia, a maior de sempre em Portugal.

Hiccup, cresceu a ouvir e a ver que os vikings devem ser grandes, fortes e destemidos. Ele não consegue crescer nem ficar forte, mas medo não tem. É porque cresceu numa aldeia que é atacada desde sempre por dragões dos mais variados tipos. Claro que isso não basta para se lançar em combates corpo-a-corpo contra uma criatura de dez metros que cospe fogo. Até porque, mais uma vez, a questão força é fundamental para se pegar num machado ou qualquer outra arma decente. A arma de Hiccup é a mente. Consegue construir um lançador de redes e com ele captura o mais perigoso dos dragões conhecidos: o nunca visto Fúria da Noite. No entanto não se sente capaz de o matar e liberta-o, só que o dragão não consegue voar. Como responsável pelos ferimentos do dragão Hiccup assume a responsabilidade de o devolver aos céus. Só terá de ser muito discreto pois vai contra tudo aquilo em que a aldeia acredita. Entretanto tudo o que aprende sobre dragões é útil para sobreviver aos treinos de matador de dragões sem matar nem ser morto. No final ambos vão ter de desafiar os seus líderes para conseguir o fim da interminável guerra. A batalha de vida ou morte entre milhares, pode ser travada por dois.

Não é nova a ideia de o pequeno filho do chefe viking ser um franganote que usa mais a cabeça do que os músculos. Também não é nova a ideia de manter um animal de estimação escondido da família, ou de dois indivíduos diferentes dos demais harmonizarem as relações entre duas tribos rivais. A nível de argumento é bastante fraco. Este filme distingue-se pela fantástica banda sonora. Ao início pode passar despercebida, mas quando se repara nisso o resto do filme torna-se secundário. O outro caso de sucesso é o trabalho nos cenários. A animação das personagens não é especialmente avançada, mas os planos de voo deixam qualquer um sem palavras. Seja sobre as águas, ou entre as nuvens, pelo meio das gigantescas pedras da falésia ou sobre a aldeia adormecida, transmite a sensação de voar como nunca um filme animado conseguiu.
A nível de vozes o maior destaque será para Jonah Hill que correspondia perfeitamente à personagem. Em segundo lugar distinguiria Gerard Butler que fez uma boa imitação de Schwartznegger.

A moral da história é que não devemos fazer as coisas como sempre foram feitas. Especialmente quando se trata de guerras que se prolongam no tempo apenas porque é tradição e já ninguém sabe os motivos. A primeira e última arma de ambos os lados deve ser o diálogo.

Título Original: "How To Train Your Dragon" (EUA, 2010)
Realização: Dean DeBlois, Chris Sanders
Argumento: Chris Sanders, Dean DeBlois, William Davies (baseados no livro de Cressida Cowell)
Intérpretes (vozes): Jay Baruchel, Gerard Butler, America Ferrera, Jonah Hill, Christopher Mintz-Plasse, Craig Ferguson
Música: John Powell
Género: Animaão, Fantasia
Duração: 98 min.
Sítio Oficial: http://www.howtotrainyourdragon.com/

Sem comentários: