13 de agosto de 2010

"Kiss and Kill" por Nuno Reis

Este filme tem a particularidade de usar dois títulos. Enquanto a maioria do material promocional se refere a "Killers", o título adoptado para a tradução lusa foi "Kiss and Kill". O primeiro aplica-se porque este filme é mortífero. O segundo também é adequado porque quem for ver ou planeia passar o tempo todo no namoro e ignora o filme (Kiss) ou está sob risco de morte (Kill), coagido por uma alma tortuosa.


Spencer Eames é um agente secreto em Nice. Tem licença para matar e para seduzir. O seu alvo para eliminação é um helicóptero e o seu alvo para sedução é Jen. Esta jovem foi trocada pelo namorado e para o esquecer está a passar férias com os pais na cidade francesa. Chocar com o escultural Spencer no elevador bastou para nunca mais se lembrar do ex-namorado e deixou-a suficientemente confiante para ser ela mesma. Motivado pela beldade que lhe caiu nos braços Spencer decide deixar a vida de espião para não a colocar em risco. A dupla acaba por juntar os trapinhos e ir viver para os subúrbios, onde a vida não é tão fácil como se poderia esperar. O passado de Spencer persegue-o mas Jen, influenciada pelas amigas, suspeita que seja uma crise matrimonial e mostra-se disposta a tudo para se manter perto dele.

Não se pode esperar um James Bond sempre que se vê um filme sobre agentes secretos, mas seria agradável um filme com alguma qualidade e respeito pelo espectador. Além de ter uma coisa que nunca vi, realização repetida (ao ver este filme só me lembrava do trabalho conjunto anterior de Luketic e Heigl, "The Ugly Truth"), tenta ser uma comédia negra ligeira ao estilo dos anos 80. Talvez por isso tenha recorrido a Tom Selleck e Catherine O’Hara, dos poucos ícones desse cinema que ainda vão mantendo estatuto. Tirando os protagonistas completamente insossos e os vizinhos estereotipados (nova sensação de dejá vu sempre que apareciam em cena) diria que apenas estes velhotes se safam num elenco de desempenho miserável.
Um cruzar de situações previsíveis, uma história sem sentido que ainda fica pior quando tentam explicar, uma autêntica nódoa em cartaz nas salas que o tenham para exibir. É um filme para fugir o mais depressa possível para outra sala, ou mesmo para recorrer ao DVD se todas as sessões já estiverem cheias ou os filmes vistos.
A Lionsgate culpou este filme pelo prejuízo do primeiro semestre e percebe-se porquê. Sendo a alternativa mais sonante em cartaz também da Lionsgate ("The Expendables"), pode ser que recuperem financeiramente, isso caso não tenham de indemnizar os clientes por danos mentais.

Título Original: "Killers / Kiss and Kill" (EUA, 2010)
Realização: Robert Luketic
Argumento: Bob DeRosa e Ted Griffin
Intérpretes: Ashton Kutcher, Katherine Heigl, Tom Selleck, Catherine O'Hara
Fotografia: Russell Carpenter
Música: Rolfe Kent
Género: Acção,Comédia,Romance
Duração: 93 min.
Sítio Oficial:

Sem comentários: