19 de outubro de 2011

"Detention" por Nuno Reis

Quando os festivais fazem maratonas há sempre um lado positivo e outro negativo. O negativo é que por vezes somos obrigados a um visionamento total de 500 minutos apenas por causa um filme, estrategicamente colocado no final. O aspecto positivo é que por vezes no meio desse longo compasso de espera descobrimos pérolas que por si só não nos levariam a uma sala de cinema. Em Sitges este ano fiz apenas duas maratonas. Algumas eram compostas maioritariamente por filmes que já tinha visto pelo que me desculpei. A primeira, como foi referido noutra crítica, era com temática erótica e desisti às 4 da manhã. A segunda prometia thrillers poderosos e obriguei-me a ver até ao fim, mesmo que logo no primeiro tivesse Dane Cook e fosse realizador por um autor de videoclips…

Primeira parte da melhor maratona feita na edição 44 de Sitges, “Detention” vem provar que um castigo pode ser divertido. A melhor forma de apresentar a ideia base é dizendo que é uma homenagem/sátira à saga Scream. A principal diferença reside no facto de a comédia e as viagens no tempo também terem o seu lugar.
Logo ao arranque temos uma jovem gira e facilmente odiável a ser morta à facada por um vilão ridículo. Após essa introdução invulgar vamos conhecer as personagens que interessam. Como é habitual a história não se preocupa com os alunos populares, mas com os socialmente excluídos. Riley é a heroína e considera-se a segunda pessoa mais infeliz na história daquela escola. Até que percebe que é perseguida por um serial killer e tudo fará para o impedir. Só que as suas actividades extra-curriculares resultam numa suspensão. Fechada numa sala com todos são suspeitos de homicídio, terá de resolver o mistério para sobreviver.

Por norma o cinema americano define as regras pelas quais os outros se regem. Dizemos que um filme é normal quando as segue. Pois este não segue o padrão internacional e é claramente um filme apenas para o público americano, como se tivesse sido feito para TV local e não para o grupo Sony distribuir mundialmente. É uma experiência diferente, algures entre o cinema mainstream e o independente, mas falado numa língua estranha.
Tem como vantagem gozar com os filmes dentro dos filmes ao mesmo tempo que alerta os distribuidores para o facto de a pirataria ser mais rápida do que eles. Depois brinca com os paradoxos temporais e com os anacronismos resultantes. E finalmente, é muito divertido de assistir, especialmente pela falta de nexo.

Acabou por ser um dos felizes vencedores (talvez o mais surpreendente) em Sitges e talvez o seu futuro resida precisamente nos festivais e nas sessões da meia-noite. É que um filme aparentemente para adolescentes por vezes precisa de um público mais velho para ser devidamente apreciado.

DetentionTítulo Original: "Detention" (EUA, 2011)
Realização: Joseph Kahn
Argumento: Joseph Kahn, Mark Palermo
Intérpretes: Shanley Caswell, Josh Hutcherson, Spencer Locke, Walter Perez, Dane Cook
Música: Brain Mantia, Melissa Reese
Fotografia: Christopher Probst
Género: Comédia, Horror
Duração: 88 min.

Sem comentários: