12 de dezembro de 2010

"Please Give" por Nuno Reis

"Dar". O que tem essa palavra de tão difícil que nem sequer na tradução do título "Please Give" foram capazes de a utilizar? Será de alguma forma "Encontros em Nova Iorque" uma melhor forma de falar desse acto tão nobre e tão adequado à época natalícia que atravessamos? Em "Please Give" não se fala do Natal, mas também não se fala de encontros. Fala-se é das pequenas acções que para uns nada significam e para outros podem ser tanto. Kate é o centro das atenções. Ganha a vida vendendo a mobília de pessoas falecidas. O negócio é excelente. Os herdeiros querem-se ver livres da tralha que enche a casa e pagam 2000 dólares. Ela na mesma semana vende a mesa por 4000, as estantes por 1500... Dinheiro não lhe falta e por isso mesmo sente-se na obrigação de o distribuir em notas de cinco ou de vinte pelos mendigos e sem-abrigo que encontra. No entanto não é capaz de comprar umas calças para a filha por 200. Outro investimento que fez foi na compra do apartamento ao lado do seu onde habita uma velhota que teima em não morrer. As duas netas dessa irritante senhora são completamente opostas. Mary é insegura e indiferente a tudo além do próprio umbigo. Becca é uma alma caridosa que vive para os outros e se esquece dela própria, tentando parecer mais fria do que é. Ambas vão colidir com a família de Kate num processo doloroso em que todos aprenderão algo.

Nicole Holofcener tem um estilo muito próprio de fazer cinema. Os toques de comédia no meio do drama fazem lembrar Woody Allen (com quem chegou a trabalhar), mas não é uma imitação pura, nem sequer uma homenagem. Tenta mostrar uma Nova Iorque privada, pequenas coisas nas vidas de pessoas comuns, rodeadas por milhares de outras pessoas indistintas e indiferentes. É um curioso retrato de uma cidade onde as pessoas não conhecem os vizinhos e o máximo que falam é quando vão passear o cão. Uma cidade onde a dor alheia é muitas vezes esquecida. Uma cidade que não teria de ser Nova Iorque.
É ainda um grito mudo contra a apatia. Um apelo inaudível a que se faça mais, sabendo que ninguém escuta, ninguém se mexe... Também o filme esbraceja inutilmente por atenção numa só sala, por entre uma dezena de blockbusters que ficarão em cartaz até final do ano. Durará duas semanas?

História de uma mulher feita para mulheres, desencantou Sarah Steele que estava praticamente desaparecida desde "Spanglish" em 2004 e a veterana Ann Guilbert do "The Dick Van Dyke Show". Especial atenção a Catherine Keener, a actriz predilecta da realizadora, com um papel poderoso, a Rebeca Hall que atravessa uma fase incrível da carreira e ainda a uma irreconhecível Amanda Peet. Oliver Platt no meio destas mulheres está muito discreto, como o argumento pedia.

Please GiveTítulo Original: "Please Give" (EUA, 2010)
Realização: Nicole Holofcener
Argumento: Nicole Holofcener
Intérpretes: Rebecca Hall, Catherine Keener, Amanda Peet, Ann Guilbert, Oliver Platt, Sarah Steele
Música: Marcelo Zarvos
Fotografia: Yaron Orbach
Género: Comédia, Drama
Duração: 90 min.
Sítio Oficial: http://www.sonyclassics.com/pleasegive

Sem comentários: