2 de dezembro de 2010

"Youth in Revolt" por Nuno Reis


Desde "Super Bad" que quando se fala de adolescentes inadaptados, o actor em quem se pensa para o papel é Michael Cera. Tornou-se célebre com essa personagem-tipo e em "Youth In Revolt" mantém-se no que o faz ser comercialmente rentável.
Nick Twisp tem muitos problemas. Um deles é não gostar do nome, outro é o namorado da mãe, o outro é uma terrível falta de jeito para as mulheres. Tudo combinado faz com que seja infeliz sem grandes motivos para isso. Quando provoca uma pequena confusão para se tentar livrar do padrasto, a família foge numa mini-férias.em Ukiah. É nesse nenhures que conhece Sheeni, a rapariga que o faz acreditar que os milagres existem e que não vai morrer virgem. Só que as férias acabam e para evitar que Sheeni seja um simples amor de Verão, Nick vai mudar a sua forma de ser. Para isso cria um alter-ego afrancesado que faz tudo aquilo que ele não é capaz de fazer: drogas, conversas ordinárias, explosões... Estará Nick preparado para as consequências do seu actos? Será Sheeni a companhia certa para ele?

O filme prometia ser invulgar tanto do ponto de vista temático como do artístico. Uma dramatização exagerada de um problema recorrente, algumas ideias originais, um bom elenco, o jogo visual com a dupla personalidade, as animações para os momentos de viagem... Então o que correu mal? A lista não é muito extensa:
Coloca grandes nomes da comédia como Buscemi e Galifianakis em papéis de treta confiando o protagonismo a um miúdo. Por muito bom que fosse o resto, pensando no talento desperdiçado deixa de ser satisfatório. Isso sem falar de Ray Liotta, Justin Long, Rooney Mara...
Também a história fica sempre aquém das expectativas Quando o filme começa por falar de Fellini e usa Belmondo como exemplo de homem francês exigia-se algo distinto, não digo que devesse ser intelectual ou elitista, mas pelo menos com classe. Não conheço o livro, mas no filme isso não foi atingido.
Resumindo, é uma história de amor banal e igual a dezenas de outras filmadas todos os anos com alguns enfeites que a tentam distinguir, mas sem substância. O que mais me chocou foi constatar que Fred Willard, no seu ridículo habitual, é dos melhores elementos de toda a trama.

O género das comédias românticas sobre adolescentes não ficou mais rico com esta peça. Salva-se uma curiosidade, ter estreado na mesma semana que "Nightmare In Elm Street" e ambos terem grande foco nos problemas de Rooney Mara em adormecer...


Youth in RevoltTítulo Original: "Youth in Revolt" (EUA, 2009)
Realização: Miguel Arteta
Argumento: Gustin Nash (baseado no livro de C. D. Payne)
Intérpretes: Michael Cera, Portia Doubleday, Jean Smart, Zach Galifianakis, Steve Buscemi
Música: John Swihart
Fotografia: Chuy Chávez
Género: Comédia, Drama, Romance
Duração: 90 min.
Sítio Oficial: http://youthinrevolt-themovie.com/

Sem comentários: