27 de junho de 2011

"Stake Land" por Nuno Reis

Este filme tem uma história gira. Quando o fui ver no mercado em Cannes conhecia o nome de algum lado. Comecei a ver e parecia familiar, mas como hoje em dia há tantos filmes com o início online, não estranhei. Até que vi um vampiro a ser morto e fez-se luz. “Stakeland” tinha feito parte de uma maratona nocturna de filmes de vampiros em Sitges, apenas meio ano antes. Não era filme que merecesse segundo visionamento por isso parti.
Stake Land

Num mundo pós-apocaliptico uma espécie que tem parte zombie e parte vampiro caça os últimos humanos. Martin era um adolescente normal até ao dia em que ao chegar a casa vê um pais mortos pelos monstros. É salvo por um caçador solitário que será sempre referido como Mister e parte com ele para um mundo inóspito em busca de um paraíso a norte. Pelo caminho vão encontrando pessoas pouco ou nada amigáveis, Martin (e nós) aprende lições de sobrevivência e matam-se muitos vampiros. Pelo caminho juntam-se mais pessoas à excursão e à medida que o desfecho se aproxima entram num crescendo de medo e violência onde a religião tem uma grande parte da responsabilidade.
Stake Land

Esta produção independente rivaliza em termos de produção e narrativa com alguns dos títulos sonantes que saíram nos últimos anos. É mesmo uma das melhor sucedidas porque não se preocupa em seguir a estrutura convencional e qualquer um é dispensável a qualquer momento. Para isso ajudou o facto de ter um elenco principal sem nomes sonantes (excepto Danielle Harris que tem feito carreira em filmes de terror como a saga Hatchet e Halloween) e portanto descartáveis. Nos secundários pelo contrário ainda aparecem bastantes caras conhecidas.
Stake Land

A história é bastante completa - incrivelmente como um filme tão curto tem tanto parfa contar - e abrange um vasto leque de situações, com especial foco nos dilemas religiosos e no fanatismo. No entanto é demasiado específica para os amantes do género e quem estiver à espera de monstros, sangue e mortes visualmente poderosas terá uma pequena desilusão. Muito do terror acontece na escuridão e na verdade o maior dos monstros é o instinto humano de sobrevivência do indivíduo e de exploração do próximo.

Stake LandTítulo Original: "Stake Land" (EUA, 2010)
Realização: Jim Mickle
Argumento: Jim Mickle, Nick Damini
Intérpretes: Nick Damini, Connor Paolo, Danielle Harris, Kelly McGillis, Sean Nelson
Música: Jeff Grace
Fotografia: Ryan Samul
Género: Terror
Duração: 98 min.
Sítio Oficial: http://www.stakelandmovie.com/

Sem comentários: