30 de maio de 2011

"Young Einstein" por Nuno Reis

Não confundir com "Young Frankenstein"

Quando um tipo chamado Yahoo Serious co-escreve, realiza e protagoniza um filme sobre o jovem fruticultor tasmaniano Albert Einstein não se pode esperar nada sério. O problema é que esta proposta australiana de satirizar a ciência saiu um ano antes de "Bill and Ted Excelent Adventure" e por isso o público ainda não tinha os critérios mínimos de exigência definidos.

A família Einstein sempre plantou macieiras e essa fruta é o seu principal rendimento. Albert é um jovem sonhador que ao levar com uma maçã na cabeça começa a pensar de forma diferente.Quando diz ao pai que é um cientista este incumbe-o de uma missão fulcral: colocar bolhas na cerveja. Albert consegue e então parte para Sidney onde vai registar a patente das bolhas para ficarem ricos. Só que apesar do seu bom coração nem todos gostam dele e terá de enfrentar muitos desafios.
Entre os inventos de Einstein estão muitos de que é melhor nem falar, mas que são um sucesso entre os miúdos da vizinhança e os habitantes do "hotel" onde fixou residência.

Quem quiser ver um filme com gatinhos queridos, um ratinho de estimação, koalas e cangurus bebés pode espreitar este, mas eu que pensava ser impossível não se gostar de um filme com cangurus bebés começo a mudar de opinião. O problema é que quem escreveu isto não sabe nada de ciência e não se esforçou por saber. Se recorreu a consultores com habilitação científica é melhor que lhes retirem esse título pois o que se vê é uma atrocidade total.
Vendo isto sem a crítica científica tem alguns detalhes correctos do ponto de vista histórico como o emprego de Einstein no registo de patentes e o seu método extravagante pensar e descobrir. As personagens em torno dele são as óbvias da época em que se desenrola a história (Curie, Darwin, Edison, Freud, Kinsey, Lumiéres e Marconi) e estão reunidas numa Academia das Ciências que se reúne anualmente para premiar os melhores inventos. É triste quando um filme com boas intenções segue o caminho mais fácil.

É uma comédia que tenta ser delirante e não o é. Tenta fazer uma homenagem ao grande cientista, mas só consegue embaraçar. Quem procurar saber através do cinema o significado da vida, do universo e tudo mais, bem pode ter de esperar pelo minuto 42 porque a primeira meia hora é simplesmente para deitar fora. Depois do péssimo início o resto do filme nem parece mau, é só uma questão de ter má memória para apreciar o que for possível no meio de muito desperdício de filme. Nos pontos positivos a banda sonora foi muito bem escolhida (metade não é original) ou composta e os cenários criados são ricos em detalhes. A indústria da maçã bem que pode agradecer a publicidade descarada (a Tasmânia é a terra das maçãs) e, por falar em publicidade, para a cena de criação de espuma ser um magnífico anúncio cervejeiro só faltou o logotípo no copo.
Pessoas pelo mundo fora ficaram a saber que para ser genial basta estarmos atentos ao que nos rodeia, mas para tornar a verdadeira ciência acessível para todos, é mil vezes preferível um livro de Russell Stannard.

Young EinsteinTítulo Original: "Young Einstein" (Austrália, 1988)
Realização: Yahoo Serious
Argumento: Yahoo Serious, David Roach
Intérpretes: Yahoo Serious, Odile Le Clezio, John Howard
Música: Martin Armiger, William Motzing, Tommy Tycho
Fotografia: Tommy Tycho
Género: Comédia, Histórico
Duração: 91 min.

Sem comentários: